Foto: Raiane Miranda

Governadora entrega nova etapa de obras do Distrito de Irrigação do Baixo Açu

Principal polo de desenvolvimento econômico da fruticultura potiguar, o Distrito de Irrigação do Baixo Açu (Diba) passou por um processo de recuperação da infraestrutura de uso comum promovido pelo Governo do RN.  Nesta sexta-feira (06), a governadora Fátima Bezerra e o vice-governador Antenor Roberto foram ao perímetro irrigado localizado na região do Vale do Açu, entre os municípios de Afonso Bezerra e Alto do Rodrigues, para entregar a segunda fase da 1ª etapa das obras, compostas por 21 quilômetros de canal de irrigação, rede elétrica e estação de bombeamento que foram renovados. O benefício era esperado há cerca de duas décadas. A área total irrigada passará de 2,7 mil para 5,7 mil hectares – mais que o dobro da atual. 

A ação de caráter estruturante executada a partir do Projeto Governo Cidadão e da Secretaria Estadual da Agricultura da Pecuária e da Pesca (Sape) recebeu R$ 8,3 milhões, via empréstimo estadual com o Banco Mundial. 

“Sabemos que esta obra é muito importante para desenvolver economicamente toda a região do Vale do Açu, onde gera emprego, e também é de grande interesse social, porque amplia o abastecimento de água para o povo daqui. Isto não é um favor, estamos cumprindo nossa obrigação de Governo”, disse Fátima Bezerra, ao destacar os benefícios trazido à região.

Titular da Sape, Guilherme Saldanha reforçou a fala da governadora. “É um fato histórico estarmos concluindo estes canais e a rede elétrica do Distrito, dobrando a capacidade produtiva e de geração de ocupação e renda na região. A ação se torna maior porque estamos em um momento de dificuldade no cenário econômico e, mesmo assim, temos mais esta ação do Governo e da SAPE que viabiliza a manutenção das populações no campo, dando condições de trabalho e produção dignas. Faz 25 anos que eu esperava apertar aquele botão de bombeamento, o que fiz com a governadora, hoje”.

Na ocasião, a Sape anunciou o edital para licitação de 9 lotes empresariais e processo de seleção para 300 hectares, destinados a agricultores familiares, a ser lançado ainda neste mês de agosto. “A história está sendo recontada e com a participação dos trabalhadores, pela primeira vez na história do Rio Grande do Norte”, completou Hildebrando Andrade, coordenador estadual do MST.

Segundo Nuilson Pinto, presidente do Diba, a expectativa com a entrega dos benefícios desta sexta-feira é de geração de 6 mil empregos diretos atuando na produção de 90 mil toneladas de alimentos e faturamento anual em torno de R$ 120 milhões. “Estou há mais de 20 anos neste projeto e, agora sim, vejo novas perspectivas, inclusive para captação de novos investidores na região.”

Para o titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), Alexandre Lima, “temos um governo que está, pela primeira vez no Rio Grande do Norte, dando à agricultura familiar a devida importância”.

Obras complementares 

Da parte do Projeto Governo Cidadão, o apoio ao Diba continuará por meio da realização de obras complementares no valor de R$ 1,5 milhão em melhorias desta 1ª etapa, finalizando os investimentos totais em R$ 9,8 milhões. Estas obras complementares aguardam autorização do Banco Mundial para que seja iniciado processo de licitação. Serão serviços de manutenção preventiva, como a restauração da principal estação de bombeamento, onde se inicia a captação de água do rio, e restauração das piscinas – reservatórios ao longo do canal que servem a lotes próximos. 

“Temos aqui um verdadeiro oásis, no qual sabemos que nossos investimentos terão retorno direto às populações da região, promovendo o desenvolvimento sustentável, uma das bases de atuação do Projeto Governo Cidadão”, lembrou o secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro. Os benefícios entregues nesta sexta-feira (6) estavam 71% executados em dezembro de 2018.

Nesta atual gestão estadual, o Governo Cidadão iniciou, ainda em Alto do Rodrigues, onde se localiza parte do Diba, investimentos em 8 Subprojetos de Iniciativas de Negócios Sustentáveis de Inclusão Produtiva, totalizando R$ 4,4 milhões em ações já concluídas. Somando à restauração do Diba, somente por meio do Governo Cidadão, o Governo do Estado investe neste município R$ 14 milhões em 11 ações.

O evento desta sexta-feira contou com a participação dos secretários de Estado Aldemir Freire (Seplan), Jaime Calado (Sedec), João Maria Cavalcanti e o adjunto Carlos Nobre (Semarh). Representando órgãos de Governo também estavam os diretores César Oliveira (Emater), Rodrigo Maranhão (Emparn), Mário Manso (Idiarn), Leon Aguiar (Idema), Crispiniano Neto (Fundação José Augusto), Auricelio Costa (Igarn), Márcia Maia (AGN) e Inês Almeida (assessora do Gabinete Civil). O senador Jean Paul Prates, a deputada estadual Isolda Dantas, o deputado estadual George Soares, os prefeitos Nickson Baracho (Alto do Rodrigues), Gustavo Soares (Assu), Reno Marinho (São Rafael), Miguel Pinheiros (Angicos), Marineide Diniz (Carnaubais), Valderedo Bertoldo (Ipanguaçu) Alaor Ferreira (Itajá), Flaudivan Martins (Pendências), Francisco Faustino (Porto do Mangue), José Alexandre (Pedro Avelino) e José Antônio (Macau). O mandato da deputada federal Natália Bonavides e órgãos como Sebrae, Faern e Senar enviaram representantes.

DCIM100MEDIADJI_0151.JPG

Complexo Oiticica avança com implantação das agrovilas rurais

A governadora Fátima Bezerra assinou ordem de serviço para implantação do reassentamento rural denominado Agrovila Jucurutu destinado a abrigar famílias de trabalhadores rurais em decorrência da conclusão da Barragem Oiticica, na bacia hidrográfica Piranhas/Açu. O assentamento das famílias é a última etapa do projeto da transposição na Bacia Piranhas/Açu, e ocorre paralelamente ao processo de finalização da obra, diferentemente do que houve com a Barragem Armando Ribeiro, inaugurada em maio de 1983. Na época, os trabalhadores rurais passaram anos morando em casas improvisadas e lutando pela desapropriação das terras onde pudessem retomar as atividades agrícolas.

A Agrovila Jucurutu é a primeira das quatro unidades previstas para o Rio Grande do Norte a ter a ordem de serviço emitida pelo Governo do Estado. Localizada na comunidade conhecida como Lagoinha, tem área total de 276,8 hectares. O projeto prevê a construção de 37 unidades habitacionais e a demarcação de lotes de aproximadamente cinco hectares por família para a produção de alimentos.

“A implantação das agrovilas em Jucurutu, São Fernando e Jardim de Piranhas tem um simbolismo especial para nós. Não só porque representa o processo final das obras físicas da Barragem Oiticica, mas, e principalmente, por proporcionar o início de uma nova vida para agricultores e trabalhadores rurais sem-terra em condições de vulnerabilidade social. Lá eles vão produzir alimentos, gerar renda para a família. Isso é inclusão social e quis Deus que eu, como governadora, estivesse à frente desse processo”, disse Fátima Bezerra.

A governadora cobrou do governo federal, mais uma vez, a conclusão das obras da transposição para que as águas do São Francisco possam chegar ao RN. “Quando a presidenta Dilma deixou o governo, as obras estavam avançadas, com mais de 90%. Já se passaram cinco anos e até agora, nada. O Rio Grande do Norte é o último estado a receber essas águas. Estamos cobrando o início do ramal de Mossoró.”

O projeto das agrovilas é pautado na agricultura familiar e no desenvolvimento sustentável. As unidades habitacionais são compostas por dois quartos, sala, cozinha, banheiro, varanda e lavanderia externa. Os assentados poderão obter renda através do que produzirem, além de terem acesso a todos os equipamentos sociais e serviços públicos como escola, posto de saúde, energia elétrica, água tratada.

Segundo o secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, “as agrovilas são fruto da luta por justiça social do Movimento dos Atingidos e Atingidas pela Construção da Barragem Oiticica, e está sendo possível a partir do diálogo aberto pelo Governo do Estado, que vem desenvolvendo com muita responsabilidade o trabalho de desapropriação e de implantação das agrovilas.”

De acordo com o secretário, além do assentamento de trabalhadores rurais sem terra que vivem naquela região, as agrovilas têm ainda como objetivo promover processo de produção em transição agroecológica, visando garantir alimentos saudáveis e respeito à biodiversidade da Caatinga com glebas de terras familiares e coletivas, respeitando a área de reserva legal e área de proteção ambiental; garantir trabalho e renda, segurança e soberania alimentar e nutricional.

VÍDEO: Governo do RN estende medidas restritivas para regiões do Alto Oeste, Central e Vale do Açu até o dia 14

O governo do Rio Grande do Norte prorrogou as medidas restritivas válidas para os municípios compreendidos pela VI Regional de Saúde Pública, situados no Alto Oeste, até o dia 14 deste mês. As regras também foram estendidas para as regiões Central e Vale do Açu. A decisão foi tomada devido ao atual cenário epidemiológico nas regiões e publicada no Diário Oficial do Estado no último sábado, 5.

VEJA VÍDEO ABAIXO:

Foto: ASCOM/IGARN

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula com 59% da sua capacidade total

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta segunda-feira (07), indica que as reservas hídricas do RN somam 2.218.651.707 m³, percentualmente, 50,69% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³. No dia 07 de junho de 2020, as reservas hídricas eram de 2.441.024.096 m³, equivalentes a 55,77% do seu volume total. 

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.414.795.969 m³, correspondentes a 59,62% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. No mesmo período do ano passado, o manancial estava com 1.533.987.376 m³, equivalentes a 64,64% do seu volume total. 

Já a barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior reservatório do Estado, acumula 256.505.870 m³, percentualmente, 42,77% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. No mesmo período de junho do ano passado, o manancial estava com 215.607.720 m³, correspondentes a 35,95% do seu volume total. 

Terceiro maior reservatório do RN, Umari acumula 214.072.477 m³, equivalentes a 73,11% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No mesmo período do ano passado, a barragem estava com 258.120.744 m³, correspondentes a 88,15% do seu volume total. 

O açude Rodeador, localizado em Umarizal, sangrou na última quarta-feira, 2 de junho. O reservatório tem capacidade para 21.403.850 m³. No mesmo período do ano passado, ele estava com 17.836.476 m³, equivalentes a 83,33% do seu volume total. 

Além do açude Rodeador, outros reservatórios que continuam com 100% da sua capacidade, são: o açude público de Encanto, Riacho da Cruz II e Flechas, localizado em José da Penha. 

Outros reservatórios, monitorados pelo Igarn, que sangraram nesta quadra chuvosa continuam com bons volumes, casos de Santana, localizado em Rafael Fernandes, que acumula 6.953.333 m³, equivalentes a 99,33% da sua capacidade total, que é de 7 milhões de metros cúbicos; o açude de Marcelino Vieira, que acumula 11.054.719 m³, correspondentes a 98,7% da sua capacidade total, que é de 11.200.125 m³; e Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, que acumula 8.181.207 m³, percentualmente, 98,88% do seu volume total, que é de 8.273.877 m³. 

A barragem de Pau dos Ferros acumula 30.531.260 m³, percentualmente, 55,67% da sua capacidade total, que é de 54.846.000 m³. No dia 07 de junho de 2020, o reservatório estava com 21.169.454 m³, equivalentes a 38,60% do seu volume total. 

O Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, localizado em Acari, acumula 8.366.869 m³, correspondentes a 18,84% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³. No mesmo período de junho de 2020, o reservatório estava com 15.355.157 m³, equivalentes a 34,57% do seu volume total. 

Os reservatórios que estão com volumes inferiores a 10% da sua capacidade, sendo considerados em nível de alerta, são: Itans, localizado em caicó, com 3,66%; Zangalheiras, localizado em Jardim do Seridó, com 5,22% e Esguicho, localizado em Ouro Branco, com 0,78% do seu volume total. 

Os reservatórios monitorados pelo Igarn, que permanecem secos, são: Inharé, localizado em Santa Cruz e Trairi, localizado em Tangará. 

Situação das Lagoas 

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, acumula 11.019.525 m³, que correspondem a 100% da sua capacidade. 

Já a lagoa do Bonfim, responsável pelo abastecimento da adutora Monsenhor Expedito, acumula 42.371.761 m³, percentualmente, 50,28% do seu volume total, que é de 84.268.200 m³. 

A lagoa do Boqueirão, que atende a usos diversos, acumula 10.224.974 m³, correspondentes a 92,33% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³. 

Foto: ASSECOM-RN

RN prorroga medidas restritivas regionalizadas até o dia 14 de junho

O Governo do Rio Grande do Norte prorroga até o dia 14 de junho as medidas restritivas válidas para os municípios compreendidos pela VI Regional de Saúde Pública, situados no Alto Oeste. Em outro documento, o governo prorroga também as regras para as regiões Central e Vale do Açu. Na noite desta sexta-feira (04), de acordo com o Portal Regula RN, a média de ocupação de leitos críticos no estado estava na casa dos 95%, enquanto que na região Oeste estava com 98% desses leitos ocupados.

Foram publicados na edição desta sexta-feira (04) do Diário Oficial do RN os Decretos Estaduais nº 30.631 e 30.632, que prorrogam para a mesma data (14/06) a vigência dos decretos nº 30.596 e 30.606, que versam sobre as referidas regiões. Os novos decretos estabelecem também que os programas de segurança alimentar executados pela Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), a exemplo do Café Cidadão e do Restaurante Popular, poderão funcionar na modalidade de atendimento presencial.

As principais medidas adotadas pelo governo, por consenso dos prefeitos das cidades cujas medidas de restrição estão mais rígidas, são as seguintes: toque de recolher, com proibição de circulação de pessoas em todos os municípios da região, das 22h às 5h, de segunda a sábado, e em tempo integral nos domingos e feriados. Fica mantida a proibição da venda de bebidas alcoólicas, em qualquer estabelecimento comercial, incluindo supermercados, mercados, padarias, feiras livres e demais estabelecimentos similares, bem como seu consumo em locais de acesso ao público, independentemente do horário, durante o período de vigência do decreto.

Também continua proibido o funcionamento de parques públicos, circos, parques de diversões, museus, bibliotecas, teatros, cinemas e demais equipamentos culturais; realização de eventos corporativos, técnicos, científicos, esportivos, shows, festas ou qualquer outra modalidade de evento de massa, inclusive locais privados, como os condomínios edilícios; atividades recreativas em clubes sociais e esportivos; funcionamento de academias, box de crossfit, estúdios de pilates e afins.

É permitida a abertura das igrejas, templos, espaços religiosos de matriz africana, centros espíritas, lojas maçônicas e estabelecimentos similares, inclusive para atividades de natureza coletiva, respeitados os protocolos sanitários vigentes e obedecida a limitação de 1 (uma) pessoa para cada 5 m² (cinco metros quadrados) de área do estabelecimento, assim como a frequência não superior a 30% da capacidade máxima.

As medidas regionalizadas estabelecidas nos Decretos nº 30.631 e 30.596/2021 valem para os seguintes municípios:

Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Antônio Martins, Coronel João Pessoa, Encanto Riacho de Santana, Doutor Severiano, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Itaú, João Dias, José da Penha, Lucrécia, Luís Gomes, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Olho D´Água dos Borges, Patu, Pau dos Ferros, Paraná Pilões, Portalegre, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Rodolfo Fernandes, São Francisco do Oeste, São Miguel, Serrinha dos Pintos, Severiano Melo, Tabuleiro Grande, Tenente Ananias, Umarizal, Venha Ver e Viçosa. As prefeituras desses municípios, em conjunto com as forças de segurança, vão trabalhar em parceria para que as medidas restritivas sejam cumpridas integralmente.

VALE DO AÇU – Consideradas nos decretos nº 30.632 e 30.606, as Regiões Central e do Vale do Açu, que compõem a 1ª Região de Saúde, compreendem os seguintes municípios: Açu, Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Angicos, Carnaubais, Fernando Pedroza, Ipanguaçu, Itajá, Lajes, Paraú, Pendências, Porto do Mangue, São Rafael, Serra do Mel e Triunfo Potiguar. Durante a vigência fica permitida a abertura e funcionamento das atividades consideradas essenciais.

As medidas para a região do Vale do Açu também proíbem o funcionamento do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Rio Grande do Norte (STIP/RN) no âmbito dos municípios constantes no decreto, com permissão apenas para que possam circular pelos municípios, caso estes estejam em trânsito para outras regiões.

CONFIRA:

DECRETO Nº 30.632, DE 04 DE JUNHO DE 2021.

DECRETO Nº 30.631, DE 04 DE JUNHO DE 2021

Foto: DETRAN/RN

Blitz educativa é realizada no município de Caicó

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte, através da  2ª Circunscrição Regional de Trânsito (unidade Caicó), realizou na manhã dessa sexta-feira (28), uma blitz educativa em alusão ao “Maio Amarelo”.

Segundo o supervisor da unidade, Charny  Macedo, foram abordados cerca de 300 condutores  que receberam além da orientação para conduta segura, kits com material educativo.

A ação aconteceu em dois pontos na cidade, no bairro Barra Nova e Centro e foi realizada em parceria com a Policia Rodoviária Federal (PRF), Prefeitura de Caicó ( coordenadoria de trânsito)  e 3º Distrito de Polícia Rodoviária Estadual (DPRE).

O Maio Amarelo tem como objetivo unir a sociedade em prol de ações para um trânsito mais seguro e humanizado.  O tema desse ano é “Respeito e responsabilidade. Pratique no trânsito”.

Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Governo de SC

RN tem decreto com regras mais restritivas para a região Central e Vale do Açu

Diante do agravamento da pandemia da covid-19, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte editou nesta terça-feira (25), o Decreto nº 30.606 com medidas mais restritivas para 15 municípios das regiões Central e Vale do Açu, com validade de 26 de maio a 06 de junho. O governo acata pedido da Associação dos Municípios da Região Central e Vale do Assu Potiguar (AMCEVALE), e edita pela segunda vez decreto de forma regionalizada no estado.

O Decreto vai restringir as regras nas Regiões Central e do Vale do Açu que compõem a 1ª Região de Saúde para os seguintes municípios: Açu, Afonso Bezerra, Alto do Rodrigues, Angicos, Carnaubais, Fernando Pedroza, Ipanguaçu, Itajá, Lajes, Paraú, Pendências, Porto do Mangue, São Rafael, Serra do Mel e Triunfo Potiguar. Durante a vigência fica permitida a abertura e funcionamento das atividades consideradas essenciais.

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira, representantes do Governo e prefeitos confirmaram a necessidade de combater a aglomeração e o avanço da transmissibilidade para frear os casos na região. O secretário Cipriano Maia (SESAP) destacou o empenho e a atitude dos gestores dos municípios. “Estamos diante de um desafio que é o de mobilizar pessoas, empresas e organizações para salvar vidas, essa atuação não pode ser apenas do governo, deve ser abraçada por todos”, destacou.

O texto com medidas mais duras estabelece toque de recolher integral aos domingos e feriados e entre 20h e 6h da manhã nos demais dias da semana. O decreto também proíbe a venda de bebidas no âmbito dos municípios relacionados em qualquer estabelecimento comercial, incluindo supermercados, mercados, padarias, feiras livres e demais estabelecimentos similares. Fica também proibido o consumo em locais de acesso ao público, independentemente do horário, durante o período de vigência do Decreto.

As medidas para a região do Vale do Açu também proíbem o funcionamento do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Rio Grande do Norte (STIP/RN) no âmbito dos municípios constantes no decreto, com permissão apenas para que possam circular pelos municípios, caso estes estejam em trânsito para outras regiões.

Reno Marinho, prefeito de São Rafael e presidente da Associação dos Municípios da Região Central e Vale do Assu Potiguar (AMCEVALE) classifica as medidas como essenciais neste momento da pandemia. “Fico muito feliz com a adesão dos 15 municípios ao texto do decreto na região, inclusive de municípios que estão vindo de medidas como lockdown. Somente em São Rafael 95 pessoas notificadas estão aguardando resultado de testes de covid-19”, alertou.

A publicação também destaca a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos. Os municípios deverão intensificar, com apoio da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) a fiscalização do cumprimento das medidas sanitárias de enfrentamento e prevenção ao novo coronavírus estabelecidas no Decreto.

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde, até o início da tarde desta terça-feira a fila para leitos críticos tinha 85 pacientes. O Rio Grande do Norte ultrapassou a marca de 6 mil óbitos, com a confirmação de 10 óbitos nas últimas 24 horas e atingiu a marca de 261.753 casos confirmados de covid-19. Na 1ª Região de Saúde são mais de 22 mil casos e 401 óbitos confirmados.

Leia o decreto na íntegra:
http://diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20210525&id_doc=724551

Foto: Cosern

Cosern moderniza rede elétrica de Angicos, na região Central potiguar

A Cosern modernizou a rede elétrica de Angicos, na Região Central, beneficiando 11.700 famílias e seis unidades de saúde, entre elas o Hospital Municipal.

Com a conclusão da obra, que se estendeu por dois quilômetros entre a entrada da cidade na BR-304 e o Centro, o município passou a ter três alternativas de fornecimento de energia elétrica com possibilidade de reestabelecimento remoto em caso de eventual interrupção.

Um desses novos alimentadores tem 25 quilômetros e parte da nova Subestação Elétrica da Cosern em Itajá, que foi inaugurada em julho de 2020 e passou a beneficiar 100 mil potiguares em Angicos, Itajá, Ipanguaçu, São Rafael e Assú.

A ação da Cosern em Angicos faz parte do trabalho de modernização da rede elétrica em todo estado com o intuito de reforçar a segurança com a população e a confiabilidade do sistema elétrico.

“Os trabalhos foram executados cumprindo todos os protocolos de segurança e prevenção à COVID-19, definidos pelas autoridades sanitárias e pela Neoenergia”, explica Talles Medeiros, Supervisor da Cosern na região. 

“As novas redes são do tipo “spacer”, mais compacta e que oferece maior grau de segurança à população, permitindo um melhor convívio com as árvores e evitando podas desnecessárias”, complementa o Supervisor.

Em 2020 a Cosern construiu 750 novos quilômetros de redes de média e baixa tensão, 42 quilômetros de redes de alta tensão e instalou 269 equipamentos telecomandados na rede elétrica em todo estado, totalizando 1.407 equipamentos desse tipo, dotados de uma tecnologia chamada de “Self-Healing” (auto reconfiguração, em inglês), que permite o restabelecimento automático do fornecimento de energia após um defeito.

A Cosern ressalta que a população sempre mantenha distância da rede elétrica. Para outras orientações de segurança, acesse o site www.cosern.com.br

Foto: ASCOM/IGARN

Armando Ribeiro Gonçalves recebe aporte hídrico e chega a 53% da sua capacidade

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta segunda-feira (19), indica que as chuvas pelo interior do estado aumentaram as reservas hídricas superficiais totais, que acumulam 1.895.370.192 m³, correspondentes a 43,3% da sua capacidade total. Na última quarta-feira (14), as reservas hídricas do RN estavam com 1.866.000.752 m³, equivalentes a 42,63% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³. 

A maior barragem do RN, Armando Ribeiro Gonçalves, recebeu bom aporte hídrico e acumula 1.258.136.519 m³, percentualmente, 53,02% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. Na última quarta-feira (14) o manancial estava com 1.233.307.878 m³, equivalentes a 51,97% da sua capacidade. 

A Barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior reservatório do RN, também continua recebendo água e acumula 167.271.860 m³, correspondentes a 27,89% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. No dia 14 de abril, o manancial estava com 162.751.240 m³, percentualmente, 27,14% da sua capacidade. 

O reservatório Umari, localizado em Upanema, acumula 198.840.187 m³, correspondentes a 67,91% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. Na semana passada a barragem estava com 198.628.627 m³, equivalentes a 67,83% do seu volume total. 

O açude Flechas, localizado em José da Penha, novamente foi o manancial que teve maior aumento percentual de volume, acumula 3.552.738 m³, equivalentes a 39,7% da sua capacidade total, que é de 8.949.675 m³. Para efeito comparativo, na última quarta-feira o reservatório estava com 2.806.450 m³, correspondentes a 31,36% do seu volume total. 

Outro açude que continua aumentando de volume é o de Marcelino Vieira, que acumula 8.145.862 m³, percentualmente, 72,73% da sua capacidade total, que é de 11.200.125 m³. No dia 14 de abril, o reservatório estava com 7.439.531 m³, correspondentes a 66,42% do seu volume total. 

O açude Santana, localizado em Rafael Fernandes, acumula 5.390.000 m³, equivalentes a 77% da sua capacidade total, que é de 7 milhões de metros cúbicos. Na última quarta-feira, o reservatório estava com 5.226.667 m³, correspondentes a 74,67% do seu volume total. 

Localizado em Severiano Melo, o açude Malhada Vermelha acumula 1.321.142 m³, percentualmente, 17,53% da sua capacidade total, que é de 7.537.478 m³. Na semana passada o reservatório estava com 1.221.134 m³, correspondentes a 16,20% do seu volume total. 

O açude Itans, localizado em Caicó, acumula 3.113.093 m³, equivalentes a 4,1% da sua capacidade total, que é de 75.839.349 m³. Na última quarta-feira, o reservatório estava com 3.028.373 m³, correspondentes a 3,99% do seu volume total. 

O reservatório Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, acumula 8.735.355 m³, percentualmente, 19,66% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³. Na semana passada o açude estava com 8.689.294 m³, correspondentes a 19,56% do seu volume total. 

O reservatório Boqueirão de Parelhas acumula 14.935.448 m³, equivalentes a 17,61% da sua capacidade total, que é de 84.792.119 m³.  No dia 14 de abril o manancial estava com 14.862.089 m³, correspondentes a 17,53% da sua capacidade. 

Outros reservatório que tiveram pequeno aumento de volume, foram: Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, que passou de 68,54% para 69,3%; Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, que passou de 71,67% para 72,33%; Brejo, localizado em Olho-d’Água do Borges, que passou de 18,83% para 19,04%; Tourão, localizado em Patu, que passou de 20,04% para 20,51%; Rodeador, localizado em Umarizal, que passou de 56,42% para 56,74%Mendubim, localizado em Assu, que passou de 67,74% para 67,95%; Rio da Pedra, localizado em Santana do Matos, que passou de 25,63% para 26,26% e Zangalheiras, localizado em Jardim do Seridó, que passou de 6,34% para 6,44%. 

Os reservatórios monitorados pelo Igarn, que permanecem com menos de 10% da sua capacidade, sendo considerados em nível de alerta, são os já citados, Itans e Zangarelhas, e o açude Esguicho, localizado em Ouro Branco, que está com apenas 0,98% da sua capacidade. 

Os reservatórios monitorados pelo Igarn, que permanecem secos, são: Inharé, localizado em Santa Cruz, e o Trairi, localizado em Tangará. 

Situação das Lagoas 

A lagoa de Extremoz está completamente cheia com os 11.019.525 m³, que correspondem à sua capacidade total. Na semana passada a lagoa estava com 10.801.106 m³, que correspondiam a 98,02% do seu volume total. 

Já a lagoa do Bonfim acumula 42.063.950 m³, percentualmente, 49,92% da sua capacidade total, que é de 84.268.200 m³. No dia 14 de abril, o manancial estava com 42.014.190 m³, correspondentes a 49,86% do seu volume total. 

A lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 9.854.618 m³, equivalentes a 88,98% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³. Na semana passada o manancial estava com 9.723.956 m³, percentualmente, 87,80% do seu volume total.  

Foto: CAERN/ASSECOM

Ação de vandalismo deixa Parelhas sem abastecimento

A ação de vândalos no sistema de captação de água no Açude Boqueirão, de Parelhas, interrompeu o abastecimento da cidade na madrugada desta terça-feira (13). Técnicos da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) já estão trabalhando para recuperar a bomba e reativar o fornecimento. Também está sendo providenciado o boletim de ocorrência junto à polícia para investigar o caso.

A previsão é que o serviço para o conserto esteja concluído até as 18h desta terça-feira. Para que o abastecimento esteja completamente normalizado, é necessário aguardar um prazo de até 48 horas.