Foto: Arquivo Secom

Voos domésticos atingem 80% de nível pré-pandemia

Os voos domésticos já recuperaram 80% dos níveis de passageiros que havia antes da pandemia de covid-19 no Brasil, segundo o ministro do Turismo, Gilson Machado. Em entrevista à Agência Brasil, durante visita à Expo 2020 em Dubai, nos Emirados Árabes, Machado disse que a companhia aérea Azul já até superou seus números pré-pandemia.

“O hub de Recife, por exemplo, já está com 115% de fluxo aéreo. A gente vê também as reservas nos hotéis no final do ano, não tem mais hotel praticamente no Nordeste brasileiro, nos endereços de ecoturismo, no Natal Luz de Gramado e Canela”, afirmou o ministro.

Os voos internacionais, no entanto, ainda estão longe da recuperação. De acordo com Machado, as ligações aéreas com o exterior movimentam atualmente apenas 30% dos passageiros de antes da covid-19.

Gilson Machado chegou a Dubai com a mensagem de que pretende ampliar o número de turistas internacionais que viajam ao Brasil e aumentar os investimentos estrangeiros na infraestrutura de turismo do país. Ele acredita que depois da pandemia, muitos vão querer ter contato com a natureza, que seria um forte ativo brasileiro.

Mas, para isso, seria preciso investir na promoção do Brasil no exterior. “Estamos lutando por recursos para isso, porque a briga pelo turista internacional é briga de cachorro grande. O turismo é dinheiro na veia da economia. A gente vê hoje um país como o México, que tem US$ 500 milhões para divulgar seu país lá fora. Por isso que o México recebe praticamente quase dez vezes mais turistas estrangeiros que o Brasil. Nós estamos lutando junto com o Congresso Nacional, para que a Embratur tenha mais recursos”, acrescentou.

A meta é atingir um patamar de 12 milhões de visitantes internacionais, o dobro do recorde já registrado no país, que foi atingido em 2018, com 6,62 milhões. Nos dois anos anteriores, os números também ficaram próximos de 6,6 milhões. Em 2019, se esperava bater a marca de 7 milhões, devido à isenção de vistos para americanos, canadenses, japoneses e australianos.

Segundo o ministro, no entanto, a crise econômica na Argentina, principal emissor de turistas para o Brasil, representando mais de um terço do total, frustrou as expectativas, e o Brasil recebeu apenas 6,35 milhões de visitantes internacionais.

Agência Brasil

Foto: Reprodução

Ministério do Turismo anuncia volta de cruzeiros marítimos em novembro

Suspensos no país desde o início da pandemia de covid-19, os cruzeiros marítimos retornarão à costa brasileira em novembro, anunciou neste sábado (2) à noite o Ministério do Turismo. Em nota, a pasta informou que uma portaria será assinada nos próximos dias.

Após a publicação da portaria, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) editará uma norma com os protocolos sanitários. As viagens também deverão respeitar as regras das cidades onde os navios atracarem.

Entre os protocolos a serem definidos pela Anvisa, estão a realização de testes antes do embarque em todos os passageiros, vacinação e testagem dos tripulantes, uso de máscaras, distanciamento, ocupação reduzida nos navios, desinfecção e higienização constantes nas embarcações e fornecimento de ar fresco sem recirculação (nos moldes dos filtros especiais dos aviões).

A liberação dos cruzeiros ocorre três semanas depois de a Anvisa ter se posicionado contra a medida. Em 10 de setembro, a agência havia informado que as evidências sanitárias e epidemiológicas ainda não apontavam a retomada dos cruzeiros como ação segura. Naquele momento, não havia previsão de uma nova reavaliação da medida.

Segundo o Ministério do Turismo, a autorização para a temporada de cruzeiros 2021/2022 envolveu a aprovação conjunta de medidas dos Ministérios da Saúde, da Justiça, da Infraestrutura, da Casa Civil e da Presidência da República. A expectativa, informou o governo, é gerar R$ 2,5 bilhões para a economia e criar 35 mil empregos, o que representaria crescimento de 11% em relação à temporada 2019/2020.

Estimativas

Para a temporada de cruzeiros 2021/2022, que vai de novembro até abril do próximo ano, estão previstos sete navios, informou o Ministério do Turismo. As embarcações devem ofertar mais de 566 mil leitos, 35 mil a mais que na temporada 2019/2020, e farão cerca de 130 roteiros e 570 escalas em portos brasileiros. Entre os destinos previstos, estão Rio de Janeiro, Santos, Salvador, Angra dos Reis, Balneário Camboriú, Búzios, Cabo Frio, Fortaleza, Ilha Grande, Ilhabela, Ilhéus, Itajaí, Maceió, Porto Belo, Recife e Ubatuba.

Por meio de um vídeo gravado nos Emirados Árabes Unidos, onde participa da Expo Dubai 2020, o ministro do Turismo, Gilson Machado, comentou a liberação dos cruzeiros.

“A temporada está autorizada pelo governo. O presidente Bolsonaro determinou empenho total para que conseguíssemos liberar, porque os navios geram em torno de 42 mil empregos no Brasil, entre diretos e indiretos. Teremos uma temporada belíssima este ano”, declarou Machado.

Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Caixa termina de depositar lucro do FGTS; veja como consultar

Cerca de 88,6 milhões de trabalhadores receberam o rateio do lucro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em 2020. A Caixa Econômica Federal informou hoje (24) ter concluído os depósitos nas contas vinculadas.

No último dia 17, o Conselho Curador do FGTS decidiu distribuir aos trabalhadores R$ 8,129 bilhões decorrentes do lucro líquido do fundo no ano passado. O montante equivale a 96% do ganho de R$ 8,467 bilhões obtido pelo FGTS em 2020. O depósito estava previsto para ocorrer até o fim do mês, mas foi concluído uma semana antes do prazo.

Cálculo

O valor de referência corresponde ao saldo de cada conta em 31 de dezembro de 2020. Quem tiver mais de uma conta receberá o crédito em todas elas, respeitando a proporcionalidade do saldo.

Para saber a parcela do lucro que será depositada, o trabalhador deve multiplicar o saldo de cada conta em seu nome em 31 de dezembro do ano passado por 0,01863517. Esse fator significa que, na prática, a cada R$ 1 mil de saldo, o cotista receberá R$ 18,63. Quem tinha R$ 2 mil terá crédito de R$ 37,27, com o valor subindo para R$ 93,17 para quem tinha R$ 5 mil no fim de 2020.

Na prática, a distribuição dos lucros elevou para 4,92% a rentabilidade do FGTS neste ano, 0,4 ponto percentual acima da inflação oficial de 4,52% acumulada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2020. Pela legislação, o FGTS rende 3% ao ano mais a taxa referencial (TR). Desde 2017, a TR está zerada.

Como consultar o saldo

O trabalhador tem dois meios principais para verificar o saldo do FGTS. O primeiro é o aplicativo FGTS, disponível para os telefones com sistema Android e iOS. O segundo é a consulta do extrato do fundo, no site da Caixa.

Quem não puder fazer a consulta pela internet deve ir a qualquer agência da Caixa pedir o extrato no balcão de atendimento. O banco também envia o extrato do FGTS em papel a cada dois meses, no endereço cadastrado. Quem mudou de residência deve procurar uma agência da Caixa ou ligar para o número 0800-726-0101 e informar o novo endereço.

Saques

O pagamento de parte dos ganhos do FGTS não muda as regras de saque. O dinheiro só poderá ser retirado em condições especiais, como demissões, compra da casa própria ou doença grave. Quem aderiu ao saque-aniversário pode retirar uma parte do saldo até dois meses após o mês de nascimento, mas perde direito ao pagamento integral do fundo no caso de demissão sem justa causa.

Agência Brasil

Foto: Bruno Concha/Secom

Preços dos alimentos disparam 33% em todo o mundo

Não é só o Brasil que convive com a inflação nos alimentos. Segundo dados da agência da Organização das Nações Unidas (ONU) para alimentação e agricultura, os preços pelo mundo já subiram quase 33% no último ano.

A pandemia e o aumento dos preços dos combustíveis são razões universais que contribuem para a alta nos produtos alimentícios, além de crises internas de países grandes produtores para o mundo, mas não são os únicos motivos que causam a inflação.

No Brasil, as geadas comprometeram as safras de açúcar. A China sofre com uma crise energética com apagões em várias cidades do país por causa da disparada do preço do carvão.

Mudanças climáticas também complicam o cenário internacional, principalmente em colheitas na Ásia e África. Desde o ano 2000, há um aumento gradativo dos preços dos alimentos por conta da dimunuição das safras, e os especialistas apontam o aquecimento global como o principal vilão.

Na Europa, o Reino Unido está sem mão de obra, e faltam trabalhadores no campo, nas fábricas de alimentos e caminhoneiros para a distribuição dos produtos pelo continente.

Com a alta procura e demanda, sobra para o consumidor pagar a conta. Seja em real, dólar, euro ou libra, os alimentos chegam mais caros às prateleiras.

Fonte: Band

Foto: Reprodução

Auxílio-inclusão para pessoas com deficiência entra em vigor

Pessoas com deficiência que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e tenham conseguido trabalho com carteira assinada podem pedir, desde sexta-feira (1º) o auxílio-inclusão. O pedido pode ser feito pelo aplicativo Meu INSS ou do site com o mesmo nome.

Equivalente a meio salário mínimo (R$ 550), o auxílio-inclusão foi instituído pela Medida Provisória 1.023, sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro no fim de junho. Criado pela Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência em 2015, o benefício precisava ser regulamentado para entrar em vigor.

Para ter acesso ao auxílio-inclusão, a pessoa com deficiência inserida no mercado formal de trabalho precisa estar com o CPF em situação regular, cumprir os requisitos para ter direito ao BPC, ter recebido pelo menos uma parcela do BPC nos últimos cinco anos ou estar com o benefício suspenso no mesmo intervalo.

O beneficiário precisa comprovar deficiência moderada ou grave e fazer parte de família com renda per capita (por pessoa) de até dois salários mínimos (R$ 2,2 mil). Também é necessário estar inscrito no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou em regimes de previdência dos servidores públicos e estar com inscrição atualizada no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico).

Caso perca o emprego com carteira assinada, a pessoa com deficiência volta a receber o BPC, que paga um salário mínimo. A migração ocorre de forma automática, sem a necessidade de repetir as avaliações iniciais feitas para garantir o acesso ao benefício original.

Agência Brasil

Foto: ELISA ELSIE

Agricultores familiares da Rede Xique-Xique ganham certificação orgânica

O Governo do Rio Grande do Norte deu nesta quinta-feira (30) mais um importante passo no apoio à produção da agricultura familiar. Os 17 núcleos de produtores que somam 150 famílias reunidos na rede Rede Xique-Xique agora terão a certificação de produtos orgânicos e receberam um veículo modelo Gol.

Fátima Bezerra, acompanhada do vice-governador Antenor Roberto, ressaltou que ainda é preciso ampliar o circuito das feiras da agricultura familiar em todo o RN, porque é um setor que gera trabalho e renda à população, oferecendo alimentos saudáveis e com muita variedade à população. Ela informou que o Governo vai lançar nos próximos dias o Programa Estadual de Convivência com o Semiárido e continuar com a perfuração e instalação de 635 poços (300 já perfurados) a serem entregues com o sistema de bombeamento de água funcionando.

“Neste 30 de setembro, quando comemoramos a libertação dos escravos em Mossoró que aconteceu cinco anos antes da Lei Áurea, estamos aqui fortalecendo importante setor da economia e também prestigiando a Uern, uma das maiores instituições de Mossoró e do Rio Grande do Norte. Vamos enviar à Assembleia Legislativa projeto de Lei que assegura a autonomia financeira da universidade. Assim como estamos defendendo e fortalecendo a agricultura familiar, estamos defendendo e fortalecendo a Uern. Fazer isso é defender e fortalecer a cidadania e a democracia”, declarou a governadora.

A Bodega Xique-xique comercializa a produção da agricultura familiar de frutas, hortaliças, castanha caju, ovos caipira, mel de abelhas e de caju, doces, frutas desidratadas, polpa de frutas, queijos, manteiga de garrafa, arroz vermelho, gergelim, pães, biscoitos, cachaça, óleos de côco e de Licuri, própolis, flor de sal. E mantém intercâmbio com associações de outros estados para enviar e receber produtos.

Neneide Lima, presidente da Cooperxique considerou o momento como ímpar. “A presença da governadora em nosso espaço muito nos honra. Lembro quando iniciamos com muitas dificuldades para termos um espaço para comercialização. Hoje, conquistamos com o apoio decisivo do Governo do Estado e estamos ampliando nosso mercado. A conquista da certificação orgânica também é fundamental para nós e para a sociedade, pois assegura produtos limpos, livre de agrotóxicos. Só temos a agradecer a este governo verdadeiramente popular.”

“O que o Governo do RN está fazendo é a realização de coisas sonhadas há muito tempo”, disse o secretário de Estado do Desenvolvimento e da Reforma Agrária (Sedraf), Alexandre Lima e acrescentou: “A certificação participativa é mais um passo. Demos total apoio e isto mostra o compromisso de governo e de vida com a Agricultura Familiar. A Rede Xique-xique é referência nacional e credenciada. O alimento produzido aqui é vida e história. Vender a produção é assegurar renda e autonomia ao produtor, é oferecer alimento limpo, sem agrotóxicos produzidos pelas famílias no campo”. Titular da secretaria de Estado de Gestão de Metas e Relações Institucionais (Segri) e coordenador do Programa Governo Cidadão, Fenando Mineiro destacou o “trabalho integrado de muitas mãos, parcerias eficientes, sérias e comprometidas que acabam proporcionando momentos como este, de reais conquistas para o nosso povo”.

Representando a Assembleia Legislativa, a deputada Isolda Dantas destacou a importância de fortalecer a agroecologia, o feminismo e a economia solidária. “Aqui tem muitas vidas dedicadas. Essa é grande rede que articula a produção e comercialização orgânica feita pelos que produzem. Agradecemos aos produtores pela força de lutar e ao governo da professora Fátima pelo apoio e comprometimento”. A senadora Zenaide Maia disse que “aqui temos o resultado de pessoas que se deram as mãos e tiveram o apoio do Governo do Estado que tem olhar e ações diferenciadas. Estão todos de parabéns”, disse.

Na nova sede da Bodega Xique-xique em Mossoró, a governadora também foi acompanhada pela secretária de Comunicação, Guia Dantas; do secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti; da  adjunta do Gabinete Civil, Socorro Batista; da Emater, César Oliveira; do presidente Fundação José Augusto, Crispiniano Neto; do subsecretário da Juventude da Semjidh, Gabriel Medeiros; diretor do Idiarn, Mário Manso e do adjunto da SAPE, Marcelo Junior. Também participaram a coordenadora geral da rede Xique-xique, Nara Rafaele; a coordenadora  da Cecafes e Unicafes, Fátima Torres; a vereadora Marleide Cunha; o diretor técnico do Sebrae, João Hélio; do Centro Feminista 8 de Março, Rejane Cleide; o coordenador da Asa Potiguar, Marcírio Lemos; do Grupo Mulheres em Ação, Francisca Damasceno; da Comissão Pastoral da Terra, Nilton Junior;  representantes da Cooperativa Agricultores Familiares Mossoró e Região, da  Associação de Produtores  Familiares  de Mossoró, de assentamentos da reforma agrária, sindicatos de trabalhadores rurais, secretários municipais de Mossoró, Tibau, Apodi, Felipe Guerra e Baraúnas.

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil Economia

Caixa paga neste sábado auxílio emergencial a nascidos em novembro

Trabalhadores informais nascidos em novembro recebem hoje (2) a sexta parcela da nova rodada do auxílio emergencial. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família.

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro será depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta-corrente.

As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto. Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros serão beneficiados pela nova rodada do auxílio emergencial. O auxílio será pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial – Caixa/Divulgação

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS.

O pagamento da sexta parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 17 e terminou em 30 de setembro. O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor for maior que o benefício do programa social.

Em todos os casos, o auxílio está sendo pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para as parcelas.

Fonte: Agência Brasil

Foto: REUTERS/Mike Blake/File Photo

VÍDEO: Ministro de Minas e Energia descarta volta do horário de verão no Brasil

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, descartou nesta quinta-feira (30) a volta da adoção do horário de verão no Brasil, extinto desde 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“O ministério fala pelo lado da economia de energia. O horário de verão não se faz necessário no que diz respeito à economia de energia. Então, nesse tocante, o horário de verão não se aplica a essa situação”, disse Bento Albuquerque durante a inauguração da termelétrica de Porto Açu, em São João da Barra, no norte do Rio de Janeiro.

A possibilidade havia sido levantada após o próprio ministério, em meio à crise hídrica, ter pedido novos estudos para avaliar o impacto da medida sobre o consumo ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) no meio do mês de setembro.

Várias entidades ligadas aos setores de serviços, shoppings centers e turismo, por exemplo, pressionam pela volta do horário de verão.

Projeções anteriores apontavam que o horário de verão geraria uma economia entre 2% e 3% no início da noite.

Fonte: BandNews

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em outubro

Trabalhadores informais nascidos em outubro recebem hoje (1º) a sexta parcela da nova rodada do auxílio emergencial. O benefício tem parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo da família

O pagamento também será feito a inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos no mesmo mês. O dinheiro é depositado nas contas poupança digitais e poderá ser movimentado pelo aplicativo Caixa Tem. Somente de duas a três semanas após o depósito, o dinheiro poderá ser sacado em espécie ou transferido para uma conta corrente.

As datas da prorrogação do benefício foram anunciadas em agosto. Ao todo, 45,6 milhões de brasileiros estão sendo beneficiados pela nova rodada do auxílio emergencial. O auxílio é pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada (veja guia de perguntas e respostas no último parágrafo).

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial

Calendário de pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial – Caixa/Divulgação

Para os beneficiários do Bolsa Família, o pagamento ocorre de forma distinta. Os inscritos podem sacar diretamente o dinheiro nos dez últimos dias úteis de cada mês, com base no dígito final do NIS.

O pagamento da sexta parcela aos inscritos no Bolsa Família começou no último dia 17 e terminou ontem (30). O auxílio emergencial somente é depositado quando o valor é maior que o benefício do programa social.

Em todos os casos, o auxílio está sendo pago apenas a quem recebia o benefício em dezembro de 2020. Também é necessário cumprir outros requisitos para ter direito à nova rodada.

O programa se encerraria em julho, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para as parcelas.

Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Petrobras cria programa para atender famílias em vulnerabilidade

A Petrobras aprovou, ontem (29), a criação de um programa social de apoio a famílias em situação de vulnerabilidade social, para permitir o acesso a insumos essenciais, com destaque para o gás liquefeito de petróleo (GLP), o gás de bujão ou gás de cozinha. O programa contará com R$ 300 milhões.

De acordo com a Petrobras, a iniciativa visa ampliar a atuação social da companhia, alinhando-a às ações praticadas por outros atores do mercado, e se justifica pela situação excepcional e de emergência decorrente da pandemia da covid-19.

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, salientou que a companhia é “socialmente responsável e comprometida com a melhoria das condições de vida das famílias, particularmente das mais vulneráveis”. Em declaração feita para o programa A Voz do Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Silva e Luna disse que “neste momento de pós-pandemia, sofrendo ainda consequências da pandemia também, com elevado custo de ‘commodities’ de forma geral e elevado preço de combustível também, entendemos que essa era uma oportunidade que a empresa tinha, dentro do seu espaço de responsabilidade social, de contribuir com isso.

Então, nós criamos esse programa, colocando a ordem de R$ 300 milhões, exatamente para contribuir com as famílias mais carentes na aquisição de seu bujão de gás. E estamos buscando, inclusive, mais parceiros, para aumentar esse volume de recursos, para atender o maior número de famílias possível”, disse Silva e Luna.

O programa se encontra em fase final de estudos. Estão sendo definidos os critérios de escolha das famílias em situação de vulnerabilidade e de busca de parceiros do setor que possam somar esforços e ampliar o valor a ser investido. 

De acordo com a estatal, a iniciativa reafirma o compromisso da Petrobras com o bem-estar da sociedade, particularmente das comunidades em sua área de influência.

Agência Brasil