Foto: Carlos Reinis/Band

MasterChef Brasil promove repescagem entre os 13 participantes eliminados

O clima de tensão promete tomar conta da cozinha mais famosa do país na próxima terça-feira (5). No 14º episódio da temporada do MasterChef Brasil, os 13 eliminados voltam ao estúdio para uma repescagem. Na primeira etapa do programa, eles terão de vencer três rounds com a proteína mais consumida no mundo: o frango.

Mas, como nada é tão simples no talent show da Band, os cozinheiros vão receber uma ave inteira e, à medida em que disputam as fases, devem escolher apenas uma parte para compor a receita, o que demanda conhecimento, habilidade e estratégia. Para complicar a vida dos participantes, o tempo de prova também será mais apertado.

Primeiro são 45 minutos, depois 30 minutos e, por último, apenas 20 minutos, ou seja, saber escolher a parte do frango para cada momento é fundamental. Mais afiados do que nunca, os jurados Erick Jacquin, Helena Rizzo e Henrique Fogaça não vão aceitar receitas secas e sem coerência. Alguns voltam para casa logo de cara e, quem sobreviver, segue para uma prova de fogo.

No segundo desafio, os competidores vão encarar uma disputa em dupla. A proposta é que eles façam versões de comidas de rua de três países diferentes: tempurá (Japão), ceviche (Peru) e taco (México). São pratos complexos, cheios de sabores e processos. Os pares vão trabalhar ao mesmo tempo e precisam se organizar para dividir as tarefas.

Para dar um apoio moral, o programa traz Vitor Bourguignon, que venceu uma repescagem durante a quarta temporada, em 2017, e foi campeão do MasterChef – A Revanche em 2019, e Hugo Merchan, que também garantiu uma nova chance no jogo e ficou em segundo lugar na quinta temporada, em 2018.

Ao final do tempo estipulado, os participantes apresentam suas criações e os chefs elegem a melhor dupla da noite, que irá se enfrentar para conquistar a vaga da repescagem. No entanto, uma surpresa muda totalmente o rumo da competição, deixando os competidores apavorados.

Premiação
Além do troféu, grande símbolo do melhor chef amador do país, a SumUp irá rechear a conta do melhor cozinheiro da temporada com R$ 300 mil. A empresa também vai oferecer ao vencedor de cada prova individual um prêmio de mil reais. O novo MasterChef Brasil ganhará da Amazon R$ 5 mil em compras por mês, durante um ano, para ser usado na loja amazon.com.br. Já a Claro vai levá-lo com um acompanhante para um destino gastronômico inesquecível, com o intuito de conectá-lo com tudo o que mais ama.

A Britânia dará ao vencedor produtos dignos de chef, enquanto a Brastemp o presenteará com uma cozinha completa da linha Gourmand. Já a Seara convidará o vencedor a participar do time de Chefs Influenciadores da marca para o desenvolvimento de receitas. O grande campeão ainda terá a oportunidade de fazer um curso de técnicas tradicionais da culinária francesa na Le Cordon Bleu Brasil. O segundo colocado também ganhará um curso de habilidades e técnicas da pâtisserie.

O MasterChef Brasil é uma coprodução Band/Endemol Shine Brasil/Discovery Home & Health baseada no formato da Endemol Shine Group. O talent show vai ao ar toda terça-feira, às 22h30, na tela da Band, com transmissão simultânea no Portal da Band e no aplicativo Bandplay. A atração também é exibida toda sexta-feira, às 19h40, no canal Discovery Home & Health.

Foto: Carlos Reinis/Band

Tiago é eliminado do MasterChef em prova da empadinha: “Não era minha hora de sair”

Eliminado no 6º episódio de MasterChef, Tiago (36) ficou poucas semanas no programa, mas se entregou à competição. Fez receitas das quais se orgulha, liderou uma prova em grupo, foi classificado pelos colegas como um forte concorrente e se emocionou ao ser salvo pelo mezanino. Mandado para casa nesta terça-feira, 10, por ter tido mais erros do que acertos na prova da empadinha, o comunicólogo lamentou deixar o jogo tão cedo.

“Ainda não é a minha hora de sair, vou voltar” prometeu aos chefs na despedida. Tiago estava confiante, enxergava com clareza seu crescimento no talent show e se sentia cada vez mais confortável para cozinhar com paixão. Ficou o gostinho de “quero mais”, como conta ao Band.com. “A ficha não caiu, parece que não está acontecendo. Tenho a impressão de que estou sonhando com essa parte chata.”

Vivendo um episódio, mas sempre imaginando o que estava por vir, o brasiliense já idealizava os próximos capítulos do programa e treinava muito para conseguir mostrar sua personalidade nas provas. “É por causa desse tipo de sentimento que fica a vontade de permanecer. Eu sei que estava começando a me adaptar, conseguindo levar melhor o jogo e as execuções”, reflete. “Deve ser natural se sentir meio injustiçado, achar que outros [participantes] poderiam ter saído antes, mas faz parte”, completa.

Faltou tempo de forno para que a empadinha pudesse se destacar e garantir a permanência do competidor na competição. É um clássico do programa, ideias boas, mas que se perdem no tempo de prova e pecam por detalhes. “Visualmente talvez não estivesse a mais apetitosa, mas eu estava satisfeito quanto ao recheio e a textura da massa”, explica. Para ele, seu maior erro foi ter contado aos chefs quais eram os defeitos do prato antes mesmo deles notarem. “Eu talvez me arrependa de ter falado que poderia estar um pouquinho crua. Talvez fosse importante aumentar a verdade. Tentei depois do resultado final, mas não adiantou muita coisa.”

De agora em diante, o brasiliense planeja aproveitar os frutos do MasterChef e viver novas experiências. Seja como comunicador, cozinheiro, produtor de conteúdo ou o que vier. “Sei que tem muita gente trabalhando em cozinhas e enfrentando dificuldades na crise. Quero tentar ajudá-los, respeitar a carreira como um todo e não ter a prepotência de achar que vou abrir um restaurante e vai dar tudo certo”, analisa

Seu plano é, por enquanto, se tornar comentarista do programa em suas redes sociais. Nem por isso deixará de treinar para uma possível repescagem ou para entrar no programa em outras edições. “Quanto antes voltar, melhor, porque estou com energia, estou treinado e posso apresentar um pouquinho mais. Já estou com vontade de fazer outra prova. Se houver uma repescagem, perfeito, estou pronto.” Esperamos te reencontrar em breve, Tiago!

Saiba tudo o que rolou no 6º episódio de MasterChef

Direto do túnel do tempo…
A segunda Caixa Misteriosa da 8ª temporada de MasterChef trouxe como convidado especial Mohamad Hindi, que participou da 1ª edição do programa, em 2014. Além da visita, o cozinheiro teve a chance de preparar uma receita com berinjela para os jurados. Mohamed deixou a cozinha elogiado por Jacquin, que se declarou: “Te amo de paixão”

Caixa misteriosa
Berinjelas de todos os tipos e tamanhos foram o ingrediente da vez na prova de classificação. Isabella, que venceu a eliminação da semana passada, pode escolher quais colegas ficariam com três caixas douradas que se destacavam no estúdio. O “presente” foi dado para Heitor, Eduardo e Pedro, que não puderam fazer mercado e tiveram que cozinhar apenas com os itens deixados em cada bancada.

Após 1 hora, na degustação, uma surpresa: sem nem mesmo gostar da fruta, Ana Paula se destacou na disputa e foi eleita a melhor cozinheira de berinjela da noite. André e Isabella também receberam elogios positivos e garantiram vaga no mezanino. Por terem sido considerados destaques negativos, Sérgio, Amanda e Kelyn foram direto para a prova de eliminação.

Fortes, médios e fracos
Grandes responsabilidades foram dadas a Ana Paula por ter cozinhado tão bem. Na sequência do desafio, a cozinheira teve que dividir os colegas que não tiveram destaque na 1ª prova em fracos, médios e fortes.

Depois de separados os grupos, Ana recebeu a difícil missão de mandar um deles direto para a prova de eliminação. Daphne, Eduardo, Luiz e Tiago, considerados por ela como fortes, foram os escolhidos para ir à berlinda. Cristina, Helena, Márcio e Raquel, dos fracos, junto a Pedro, Heitor, Renato e Juliana, dos médios, foram poupados.

Prova de eliminação
Empadinhas com dois recheios e molho de salsa picante definiram o eliminado do 6º episódio de MasterChef. Em apenas 1 hora e 3 minutos de mercado, os cozinheiros tiveram que acertar na massa e nos sabores do quitute.

Eduardo venceu a decisão com empadinhas recheadas com frango e uma versão doce com queijo e goiabada que encantou os jurados pela criatividade. Já Tiago, Sérgio e Amanda não impressionaram e foram os cozinheiros que mais apresentaram erros.

No mezanino, Heitor precisou reunir o grupo para definir quem teria uma nova chance no jogo. Amanda foi a escolhida por maioria de votos e Tiago acabou eliminado.

Cozinheiros amadores e Mohamad Hindi enfrentam Caixa Misteriosa no MasterChef

Band leva ao ar na próxima terça-feira (10) o sexto episódio do MasterChef Brasil com uma das provas mais emblemáticas da temporada. Dessa vez, os participantes terão de trabalhar com a berinjela, um ingrediente muito consumido pelos brasileiros. Nas bancadas, além das Caixas Misteriosas convencionais, eles serão surpreendidos por três douradas, que podem trazer uma vantagem ou uma desvantagem para quem ficar com elas.

Vencedora da última prova de eliminação, Isabella terá a missão de escolher três pessoas para ficarem com as versões diferenciadas, podendo estar entre os selecionados. Diante de uma pilha cheia de berinjelas de tipos, cores, tamanhos e formatos diversos, os competidores precisarão criar um prato que valorize o fruto e surpreenda o paladar dos jurados.

Dentro das caixas douradas há uma seleção de ingredientes que trazem caminhos para possíveis receitas, mas sem abertura para tanta criatividade. Quem estiver com elas, não poderá ir ao mercado, diferente dos demais concorrentes.

Para a surpresa dos cozinheiros, Mohamad Hindi, um dos ex-participantes mais queridos do país, retorna à cozinha para relembrar sua trajetória em 2014 e colocar a mão na massa. Mesmo não concorrendo à uma vaga no mezanino, ele admite estar com medo de enfrentar os chefs mais uma vez, por isso fará tudo o que puder para impressioná-los.

Ao final, o autor do melhor prato terá que dividir os adversários em três grupos: fracos, médios e fortes. Além de classificar o nível de cada um dos seus concorrentes, ele ainda enviará um dos times direto para a prova de eliminação, o que deixará o clima ainda mais tenso.

No desafio derradeiro, os competidores vão ter de preparar seis empadinhas com dois recheios diferentes e uma salsa picante. Embora pareça fácil, a iguaria é cheia de processos e será preciso muita criatividade, concentração e habilidade para entregar o prato dentro do tempo estipulado. Quem conseguir agradar o paladar do trio de jurados, segue direto para o mezanino, enquanto os piores ficarão na berlinda. Um deles terá a oportunidade de ser salvo pelos colegas. Após a escolha, Erick Jacquin, Helena Rizzo e Henrique Fogaça definem quem será o sexto eliminado do talent show.

Premiação

Além do troféu, grande símbolo do melhor chef amador do país, a SumUp irá rechear a conta do melhor cozinheiro da temporada com R$ 300 mil. A empresa também vai oferecer ao vencedor de cada prova individual um prêmio de mil reais. O novo MasterChef Brasil ganhará da Amazon R$ 5 mil em compras por mês, durante um ano, para ser usado na loja amazon.com.br. Já a Claro vai levá-lo com um acompanhante para um destino gastronômico inesquecível, com o intuito de conectá-lo com tudo o que mais ama.

A Britânia dará ao vencedor produtos dignos de chef, enquanto a Brastemp o presenteará com uma cozinha completa da linha Gourmand. Já a Seara convidará o vencedor a participar do time de Chefs Influenciadores da marca para o desenvolvimento de receitas. O grande campeão ainda terá a oportunidade de fazer um curso de técnicas tradicionais da culinária francesa na Le Cordon Bleu Brasil. O segundo colocado também ganhará um curso de habilidades e técnicas da pâtisserie.

MasterChef Brasil é uma coprodução Band/Endemol Shine Brasil/Discovery Home & Health baseada no formato da Endemol Shine Group. O talent show vai ao ar toda terça-feira, às 22h30, na tela da Band, com transmissão simultânea no Portal da Band e no aplicativo BandPlay. A atração também é exibida às sextas-feiras, a partir das 19h40, no canal Discovery Home & Health.

Fotos: Carlos Reinis/Band

O que os participantes do MasterChef comem no hotel em que estão confinados? Descubra aqui

Isolados em um hotel na cidade de São Paulo para as gravações do MasterChef, os participantes da 8ª temporada fizeram do confinamento seu segundo lar e há meses não tem contato com o mundo exterior. Longe de casa, a rotina na cozinha também mudou e tudo o que eles comem é produzido por terceiros. Engana-se quem pensa que os cozinheiros podem comer tudo o que fazem no programa ou até mesmo levar uma “marmita” para o hotel. No confinamento, o cardápio é outro. Contamos tudo abaixo:

Hambúrguer de picanha, arroz de costela, sobrecoxa de frango, espaguete à bolonhesa, penne e várias outras opções recheiam os jantares durante os dias da semana. É no hotel onde as primeiras e últimas refeição do dia, antes e depois de cada gravação, são servidas. Aos sábados e domingos é possível pedir comida por delivery e experimentar pratos diferentes.

Acontece que em meio a rotina agitada, alguns hábitos alimentares mudaram e além dos novos sabores colados na mesa, a ansiedade se tornou tempero extra. Gabriel, 2º eliminado da competição, diz ter sentido dificuldade para comer durante o dia, quando o nervosismo pelas provas era recorrente.

“O jantar acabou se tornando a refeição que mais consegui aproveitar porque já estava tranquilo e menos nervoso com as provas. Durante o café da manhã ou o almoço, ficava preocupado com o que iria preparar nas gravações”, explica.

Campeões de audiência no cardápio
Com tanta variedade no menu fica difícil escolher o que comer? Que nada! Por lá, todos já criaram tanta familiaridade com o cardápio que elegeram seus favoritos. Heitor e Antônio, por exemplo, são fãs do hambúrguer de picanha. Já Isabella prefere o arroz de costela. Todos são apaixonados pelo pudim de leite.

“É o melhor do mundo. Tem uma textura ótima e sem furinhos. Já tentei conseguir a receita com o chef, mas ele parece ter um segredo e não conta”, explica Isabella.

Antônio estava na lista dos que ficaram apaixonados pelo clássico. “Quando gosto de uma coisa peço repetidamente. O pudim é o melhor que já comi na minha vida. Fico perguntando aos outros participantes se alguém não vai querer ele como sobremesa para mandar pra mim”, brinca. Até quem já foi embora, como Gabriel, lembra com saudade da receita: “Foi o que mais me marcou. Esperava o dia pra comer.”

Ampliando o repertório
A vida gastronômica de um MasterChef pode ser bem diferente do que eles cozinham quando estão no programa. É no fim de semana que os competidores conseguem variar ainda mais o cardápio e provar novas receitas via delivery. Já parou pra pensar que, para eles, comer é como um estudo?

Isabella, que mora em uma região com pouca entrega de comida, está aproveitando a oportunidade para experimentar tudo o que não consegue pedir quando está em casa. Já Kelyn encomenda, pelo menos em uma refeição, algo que nunca comeu para ampliar seu repertório na cozinha e ter mais referências no jogo.

Todos eles guardam ainda, em seus respectivos quartos, mantimentos de emergência para comer quando bate a ansiedade, a fome na madrugada ou a vontade de comer algo diferente. É o caso de Daphne que é atleta e recorre aos doces quando sente saudade de andar de skate. Ou da Kelyn que tem chocolate no quarto como forma de acalento aos dias difíceis. Antônio também não fica de fora e guarda biscoitos, salgadinhos e barrinha de cereais.

No fim, todos acabam criando vínculos para além da comida. O cardápio vai se tornando uma importante lembrança de um período decisivo e transformador na vida. É o arroz de costela, o hambúrguer e o pudim que vão ganhando gosto de confinamento do MasterChef 2021 e um dia ainda vão deixar saudade.

Fotos: Carlos Reinis/Band

Antônio não consegue reproduzir receita de Fogaça e é eliminado do MasterChef

Nunca é fácil se despedir de um sonho, pior ainda se o adeus inclui dar até logo a amizades queridas. Foi com este sentimento que o maceioense Antônio, de 23 anos, deixou o MasterChef na noite desta terça-feira (3) após ficar na berlinda com sua melhor amiga na competição, Helena. Desafiado a reproduzir uma receita do chef Henrique Fogaça, o publicitário não conseguiu executar bem o prato e levou broncas dos jurados que o escolheram como o pior participante do 5º episódio. Antônio se despediu com a promessa de se tornar “um cozinheiro melhor”.  https://player.mais.uol.com.br/?mediaId=16954202&autoplay=false&share=false&related=false

Ele, que foi salvo pelo mezanino no 1º episódio da temporada, diz ter pedido aos colegas para que não o salvassem novamente caso fosse preciso. “Quando a Isa ganhou a prova e foi falar comigo, pedi para que ela enviasse a mensagem aos outros de que possíveis votos em mim poderiam ser transferidos para a Helena. Eu já tive a minha oportunidade”, conta em entrevista ao Band.com

Levado até a porta pela amiga e aplaudido pelos colegas, Antônio não imaginava, quando entrou na competição, que criaria vínculos tão fortes. No início do programa, chegou a dizer que as relações poderiam ser complicadas pelo confinamento e que os competidores que quisessem “guerra” com ele, teriam. A realidade foi um tanto diferente e agora ele planeja levar alguns laços para a vida.  

“A gente brinca que eu, a Helena e a Isabella somos as ‘meninas superpoderosas’. Fechamos um trio e ficamos muito felizes com a amizade que se estabeleceu. A gente segurava a mão um do outro e se apoiava”, recorda.  

O que eles não esperavam era que, no primeiro episódio em que cozinharam juntos, no desafio do churrasco, a dinâmica afastaria o grupo. O eliminado percebe que acabou sendo um dia de muitos altos e baixos: “Fiz um bom trabalho nas provas em grupo e consegui entregar boas carnes. Depois, não fiz uma boa réplica, mas saio feliz. Por mais que tenha sido a minha despedida, foi a prova que mais gostei de fazer”. 

Dos cinco episódios que participou, Antônio cozinhou em quatro deles e foi salvo por colegas em dois. Na estreia da 8ª temporada, o nervosismo foi gigantesco e ele ouviu dos chefs que sua receita não tinha personalidade. Desde então, acredita ter começado a ganhar confiança. “Eu vinha numa crescente, estava me sentindo cada vez mais seguro, encontrando meu espaço.” 

Apesar de sair no primeiro mês de programa, o publicitário se sente orgulhoso por ter tido coragem de deixar o sofá de casa, em que acompanhou tantas temporadas, para competir de verdade.  Da participação, ficou a vontade de ter mostrado ainda mais seu potencial, mas ele não descarta voltar em uma possível repescagem. “Gostaria de fazer algo com carne de porco. É o ingrediente que mais gosto, mais tem a minha cara e que iria bem em uma prova.” 

Fica, agora, a torcida por Helena e Isabella: “São as duas pessoas que quero na final do programa”. Já quem ele não imagina vencendo, por uma questão de proximidade, é Eduardo. “É um concorrente forte, mas não está na minha torcida.”  

Apostas feitas? Obrigada por tudo até aqui, Antônio.  

Veja o que rolou no 5º episódio do MasterChef Brasil 

Fogo no parquinho  
Logo na primeira prova da noite, os participantes foram recepcionados por Naiara Azevedo e Fabiano Menotti ao som de clássicos sertanejos. Ana Paula Padrão anunciou que eles precisavam se dividir em três equipes para preparar um churrasco digno de chef.  

José Sergio, que venceu a eliminação da semana passada, foi o capitão de um dos times e escolheu com quem gostaria de trabalhar. Os participantes que restaram tiveram que se dividir em duas equipes e eleger um capitão para cada. André e Tiago foram os escolhidos pelas equipes vermelha e amarela.  

Ao longo de 45 minutos, os participantes tiveram que preparar a carne, os acompanhamentos e um molho. Na degustação, ponto para a equipe amarela, liderada por Tiago, que acertou nas receitas e entregou ainda uma sobremesa de banana que deixou os jurados e convidados encantados. Com a vitória, Tiago, Márcio, Kelyn, Eduardo, Raquel e Daphne foram ao mezanino.  

Convidados colocam a mão na massa 
Na segunda etapa da primeira prova, Naiara e Fabiano se juntaram, respectivamente, aos times vermelho e azul. Os artistas ajudam no preparo das refeições e foram avaliados pelos chefs. 

Com uma peça de contrafilé, cada grupo teve que fazer o corte adequado da carne, grelhar e servir com molho e acompanhamentos. Desta vez, a vitória ficou para o time azul e emocionou Fabiano, que fez amizade com os participantes em apenas 30 minutos. Heitor, Renato, Ana Paula, Luiz, Pedro e Sérgio garantiram vaga no mezanino.  

Em clima de Dia dos Pais…  
Helena, Juliana A., Isabella, Amanda, Cristina, André e Antônio enfrentaram a prova de eliminação. O desafio foi reproduzir uma receita de robalo do chef Henrique Fogaça. Os competidores foram surpreendidos por uma visita especial do pai do jurado, João, que fez uma bonita homenagem ao filho.   

Em meio a muita emoção e a uma aula profissional, os participantes tiveram 1 hora e muita dificuldade para acertar na reprodução. Ao fim da contagem regressiva e da degustação, Isabella levou a melhor e foi elogiada pela execução da receita. Juliana, Amanda e Cristina também foram destaques.  

Na berlinda, Helena, Antônio e André dependeram do mezanino para garantir a permanência no jogo. Ana Paula Padrão pediu a Márcio que entrasse em consenso com os outros participantes sobre quem deveria ser salvo. André foi o escolhido e Antônio acabou sendo eliminado. 

Perdeu o MasterChef Brasil? Assista ao 4º episódio na íntegra

É emoção que você quer? O quarto episódio do MasterChef Brasil 2021, exibido na noite de terça-feira (27), foi eletrizante! A primeira prova em equipes da temporada marcou o programa, que contou com a participação especial do ator e apresentador Felipe Titto. Os participantes foram desafiados a preparar 300 marmitas para pessoas em situação de rua em 2 horas. Uau!

Na prova de eliminação, os cozinheiros amadores tiveram que fazer o croque monsieur, um clássico sanduíche francês, sob os olhares atentos do jurado Érick Jacquin. Que responsabilidade, hein?

VEJA VÍDEOS ABAIXO:

PARTE 1

PARTE 2

PARTE 3

PARTE 4

PARTE 5

Fotos: Carlos Reinis/Band

Juliana N. é a 4ª eliminada do MasterChef e diz que fazer amigos no programa é “ilusão”

Elegância e gentileza marcaram a passagem de Juliana N. no MasterChef Brasil. Gaúcha de coração, a estilista de Jaraguá do Sul (SC) deixou o programa no quarto episódio, exibido nesta terça-feira (27), após enfrentar três provas de eliminação ao longo da 8ª temporada. No desafio do croque monsieur, seu sanduíche teve mais erros do que acertos e foi o pior por escolha dos jurados. Apesar de perder no jogo, Juliana ganhou o carinho do público. Em sua trajetória, chamou a atenção pelo jeito empático e teve seu nome entre os assuntos mais comentados do Twitter, além dos vários seguidores que passaram a acompanhá-la em outras redes. Em entrevista ao Band.com ela conta detalhes de tudo o que viveu no talent show

“Me senti amada” diz, logo nos primeiros minutos de conversa, ao analisar o engajamento dos fãs do programa que a acompanharam até aqui. É que ser admirada mesmo na derrota a fez olhar seu íntimo e voltar no tempo em um processo empoderador. “Ser real e verdadeira só me faz acreditar que sou mais forte. Durante a vida inteira me mostrei vitoriosa e quase perfeita, mas muitas vezes escondi meus fracassos, perdas e dores. Poder agora assumir as críticas de cabeça erguida me faz um ser humano muito melhor”, garante. 

O amor veio das redes sociais, mas dentro da cozinha o cenário foi outro. Das relações que criou, fica a torcida para Daphne que, segunda ela, foi quem mais lhe passou verdade na dinâmica. “Ela é madura apesar de jovem, focada, concentrada e tem uma boa experiência na cozinha […] Teria muito orgulho de ser mãe dela.” Já sobre os demais, garante que tem muita gente criando relações por interesse. “Acho que as relações de verdade existirão lá fora simplesmente porque a gente se conectou aqui. Aqui elas ainda são por interesse. As pessoas que acreditam que estão criando amigos aqui estão se iludindo.”

Embalada pela canção “Tempos Modernos”, do Lulu Santos, a estilista entrou várias vezes no estúdio cantando repetidamente “vamos viver tudo o que há para viver”. Hoje, encara a experiência intensa de cozinhar sob pressão como algo libertador.  “Sou muito feliz por ter entrado na disputa. A escolha de me inscrever foi minha e, quando eu decidi, o universo inteiro conspirou.”  

Uma das provas que mais emocionou Juliana foi justamente a do episódio que ocasionou sua eliminação. Poder cozinhar marmitas para 150 pessoas em situação de rua fez seu coração bater mais forte. Liderada por Sérgio, capitão da equipe azul, ela esteve envolvida na produção do molho. “Não posso dizer que foi uma boa liderança, mas foi uma boa equipe. […] Por ter experiência em cozinha solidária, eu sabia que precisava usar bem o equipamento disponível para vencer no tempo. O líder não teve muito o que impor ou brigar porque o grupo era muito afinado”, explica.  

Seu maior orgulho? Ter ouvido da chef Helena Rizzo que o Devil’s Food Cake que preparou no 1º episódio era uma obra-prima em sabor e apresentação. “Ninguém recebeu um elogio assim. É uma lembrança para o resto da vida para uma cozinheira amadora que faz tudo com amor, sem estratégia, sem jogo, sem técnica ou preparo.” Deu certo!  

A caminho de casa, do reencontro com o marido, Gustavo, e com o filho, Augusto, a participante acredita que cumpriu com o objetivo de dar o seu melhor na competição. “Por mais que eu tenha dito muitas vezes sobre vencer o MasterChef, o que eu ganhei de experiência de vida foi imenso”, analisa. “O que fica é que as vitórias são muito maiores do que a gente almeja. Quando a gente olha para o troféu, não percebe que muitas coisas vêm pelo caminho.” Sentiremos saudade das suas reflexões, Ju! Boa sorte.  

Foto: Reprodução

MasterChef 2021: conheça todos os participantes da 8ª temporada

Falta pouco para mais uma edição do MasterChef Brasil! A oitava temporada, que tem estreia marcada para o dia 6 de julho, às 22h30, traz 23 novos participantes e apenas um ganhador. Além de cinco competidores que já estiveram na cozinha mais famosa do País e tentam uma segunda chance, novatos na competição também vão tentar agradar ao paladar de Helena Rizzo, Erick Jacquin e Henrique Fogaça. Conheça!

Amanda (26) Rio de Janeiro/RJ – Designer de Interiores
Desde pequena, a carioca Amanda era presença constante na cozinha da sua casa, observando os preparos da sua mãe. Aos poucos tomou coragem de mexer nas panelas, mas deslanchou mesmo quando ganhou o seu primeiro livro de gastronomia. A partir daí, aprofundou seus conhecimentos e não parou mais. Gosta de culinária francesa e italiana, mas define sua comida como regional. Hoje, a designer de interiores de 26 anos está em busca de um recomeço e acredita que encontrará isso no MasterChef.

Ana (30) David Canabrava/RS – Fonoaudióloga
A história de amor entre a cozinha e a gaúcha de 30 anos começou ainda na infância, quando cuidava da casa e dos seus irmãos enquanto seus pais trabalhavam. A rotina da cozinha e os afazeres domésticos só parou quando adolescente, onde iniciou uma carreira de modelo e teve de superar distúrbios alimentares. Nesta fase difícil, seus experimentos na cozinha foram o que a salvou da anorexia e a fez gostar de comida de verdade. Hoje, é fonoaudióloga, mas quer migrar de carreira e voltar a fazer o que realmente ama desde pequena: a gastronomia! Bastante competitiva, é fã do programa e vê o MasterChef como seu maior objetivo de vida.

Ana Karina (40) Recife/PE – Médica
Natural de Recife, Ana Karina é uma mulher cheia de orgulho das suas raízes nordestinas, que promete ser a sua marca na competição. Além da cozinha regional, a pernambucana de 40 anos também aposta no seu conhecimento de gastronomia internacional, conquistado devido às diversas viagens que fez pelo mundo. Formada em medicina, Ana Karina é oftalmologista e gosta muito da profissão, que encara como uma forma de servir ao próximo, mesmo motivo que a faz amar a gastronomia. Apesar da aparência doce e meiga, Ana Karina garante que tem personalidade forte e não vai dormir na disputa. 

André (32) São Paulo/SP – Empresário
Nascido e criado em São Paulo, André tem no sangue uma mistura de imigrantes paulistanos, sua família é metade nordestina, metade italiana. E foi reencontrando suas raízes europeias, numa viagem à Itália, que André experimentou pratos deliciosos e despertou sua vontade de aprender a cozinhar. Bastante dedicado e perfeccionista, chegou a fazer 20 carbonaras em um só mês até sair como queria. Atualmente é empresário e, no MasterChef, busca a sua chance de se desafiar e montar sua tão sonhada rede de restaurantes.

Antonio (23) Maceió/AL – Analista de Marketing
O estudante de publicidade Antonio é um jovem orgulhoso de suas raízes nordestinas. Nasceu em Maceió (AL) e mora em Aracaju (SE). Cozinha há 10 anos, como uma maneira que encontrou de participar ainda mais dos almoços familiares. Gosta de preparar massas, risotos e seus famosos hambúrgueres, e garante: quem provou, não vive sem. Lutador de karatê, vai usar o seu aprendizado em artes marciais para tentar manter o foco e a concentração nas provas. Apaixonado por futebol, Antonio trabalha no marketing de um clube da cidade e vê o MasterChef como a sua Copa do Mundo pessoal.

Bernardo (40) Rio de Janeiro/RJ – Empresário
Nascido e criado no Rio de Janeiro, Bernardo tem 40 anos e é empresário do ramo armamentista. Desde pequeno gostava de filmes de guerras e armas, e hoje possui um stand de tiros. Bernardo já serviu ao exército dos Estados Unidos e aprendeu a cozinhar cedo com os pais, mas só depois do primeiro casamento começou a testar novas receitas para sua ex-mulher. Bastante competitivo e estrategista, acredita que o MasterChef será um grande desafio, mas nunca entrou em uma competição para perder.

Cristina (51) São Sebastião do Passeio/BA – Coordenadora Pedagógica
Criada no subúrbio de Salvador, a baiana Cristina cozinha desde pequena porque, segundo seu pai, era sua função como mulher. Com o passar do tempo, decidiu ser independente e evitou a cozinha após sair de casa, como uma resposta ao machismo do pai. Aos 30 anos, virou mãe e criou seu filho sozinha, o que a fez deixar seus sonhos de lado. Cristina é coordenadora pedagógica e com sua filha indo morar em Florença na Itália, acredita que finalmente chegou o seu momento de se dedicar a si mesma. Hoje com mais de 50 anos, Cristina reviu a sua visão pela cozinha, aceitou o seu amor por ela e acredita que o MasterChef será a grande chance de trabalhar na área.

Daphne (19) São Paulo/SP – Skatista
A skatista de 19 anos não é uma novata na cozinha do MasterChef Brasil. Aos 13 anos, participou do MasterChef Brasil Junior e foi destaque em diversas provas. A paulistana, que hoje mora na Praia Grande (SP) com a mãe, sonha em conciliar o esporte com a cozinha e deseja ter um restaurante no meio da natureza. Apesar de nova é bastante estudiosa e tenta sempre se aprimorar com novas técnicas na cozinha. Quer voltar ao MasterChef para mostrar o quanto evoluiu e garante que vai agarrar esta oportunidade com todas as forças e sair com troféu na mão.

Eduardo (19) São Paulo/SP – Universitário
Eduardo já esteve na cozinha do MasterChef Brasil em 2015. Foi um grande destaque da edição do MasterChef Junior, e garante que está mais que pronto para retornar à maior competição gastronômica do mundo. Eduardo foi destaque por sua grande habilidade na confeitaria e prometeu para si mesmo que ia voltar ao programa para desta vez ganhar. Desde então, Eduardo ampliou muito seus estudos e se diz preparado para levar o troféu para casa. Tem facilidade de cozinhar sob pressão e quer mostrar para os chefs que está mais maduro para reagir às críticas. Quer orgulhar seus pais e realizar o sonho de ter seu próprio negócio. 

Gabriel (19) Andradas/MG – Estagiário
Mineiro da cidade de Andradas, Gabriel tem 19 anos e cursa Engenharia Civil e quer dividir sua profissão e sua paixão pela gastronomia. Cresceu admirando sua avó italiana e sua mãe na cozinha e frequentando o sítio com gados e cafezal de seu pai. Seu forte é a comida regional, adora cozinhar para família e amigos para gerar emoção. Entrar no MasterChef sempre foi um grande sonho e ganhar a competição pode ajudá-lo a montar seu próprio restaurante. Mesmo sendo um dos mais novos garante que está preparado para chegar a grande final.

Heitor (30) Campinas/SP – Analista de Sistemas 
Nascido e criado em Campinas (SP), venceu um dos episódios da edição especial do MasterChef no ano passado e agora está de volta a cozinha para garantir o grande troféu e provar que é o melhor cozinheiro amador de 2021. Heitor trabalha como analista de sistemas e sempre cozinhou para sua família, mas foi depois de morar sozinho, em lugares como Irlanda, Nova Zelândia e no Amazonas que o seu interesse pela gastronomia aumentou. Competitivo e grande esportista, pratica muay thai e corrida e está sempre à procura da perfeição em tudo que faz. Quer provar para si mesmo do que é capaz e mira o MasterChef como a grande chance de mudar de carreira.

Helena (43) Belo Horizonte/MG – Jornalista
A jornalista mineira nasceu em Belo Horizonte, mas se mudou para Barcelona na Espanha, onde possui uma clínica dentária com o marido e vive com suas filhas. Viajada, Helena adora fazer turismo gastronômico, o que lhe agregou repertório para agradar suas filhas e sonhar com o troféu de MasterChef Brasil. As lembranças de sua infância, vivendo na fazenda do pai e convivendo com plantações e animais, fez ela sonhar com a sua volta ao Brasil, e vê no MasterChef a sua porta de entrada para uma carreira de sucesso na gastronomia.

Isabella (25) Florianópolis/SC – Atriz
As primeiras lembranças de Isabella na cozinha vêm desde a infância, com a família. Com seus 25 anos, atriz, já fez alguns trabalhos na televisão, é filha do ex-nadador Fernando Scherer e, como ele, é competidora nata e adora se superar. Fã da Helena Rizzo, se inspira nas referências da chef para compor seu estilo na gastronomia. Define a si mesma como uma pessoa “de humanas” e ama toda forma de manifestação artística, principalmente a gastronomia. Vem cheia de garra e pronta para levar o troféu para casa.

José Sergio (50) Canhotinho/PE – Representante Comercial
Nascido no interior de Pernambuco, sua família veio para São Paulo em busca de uma vida melhor. Trabalha como representante comercial e gosta de declarar sua paixão pelo carnaval, onde todo ano participa de desfile de sua escola de samba do coração. Sua maior satisfação é ver a mesa cheia de amigos apreciando sua comida. Confiante de suas habilidades culinárias, aposta no MasterChef para finalmente transformar em profissão aquilo que sempre fez seu coração bater mais forte: a cozinha.

Juliana A. (37) Passos/MG – Empreendedora
Juliana Arraes é uma mineira da cidade de Passos, ama contos de fadas e promete surpreender os chefs com suas receitas mágicas. Já passou pela cozinha ano passado na edição especial do MasterChef e diz ter se preparado muito para esta chance após uma eliminação amarga. Especialista em confeitaria, Juliana promete aquecer o coração dos jurados para poder conquistar o reino dos vencedores.

Juliana N. (46) Taubaté/SP – Estilista
Juliana nasceu no interior de São Paulo, mas se considera gaúcha de coração. Hoje mora em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina com o marido e o filho de dez anos. Após se dedicar por 25 anos à carreira de estilista e viajar pelo mundo, acha que esgotou suas possibilidades e quer agora se dedicar totalmente à gastronomia. Como seu filho nasceu com alergia a muitos alimentos, precisou revolucionar sua maneira de lidar com a alimentação e despertou então sua nova vocação de vida. Com sua vasta bagagem internacional, acredita que transformar o luxo no simples sem perder a essência é seu estilo na cozinha e está preparada para levar o grande título para casa.

Kelyn (28) Canarana/MT – Advogada
Aliar nutrição e gastronomia é o desejo dessa mato-grossense de 27 anos que cresceu frequentando criações de gado, galinhas e cordeiros. Kelyn quer entrar no MasterChef desde a primeira temporada, mas só agora se sentiu segura para encarar os chefs. Estudiosa, é formada em direito, mas cursa nutrição por causa da paixão pelo programa. Obstinada, garante que pelo menos chega ao top 5, mas que o grande sonho é levar o troféu para casa.

Luiz (31) Rio de Janeiro/RJ – Analista Financeiro
O carioca de 31 anos trabalha como analista financeiro de uma grande empresa, mas quer mudar de profissão para fazer o que mais gosta: cozinhar. Luiz cozinha desde pequeno, mas a pouco tempo começou a estudar mais e se dedicar a alta gastronomia. Desde então, faz cursos on-line em busca de se aperfeiçoar cada vez mais. Criativo, sempre planeja tudo antes de começar a cozinhar e vai ter foco total para se tornar o MasterChef 2021.

Márcio (52) São Paulo/SP – Professor
Desde criança o ator e professor de teatro admirava a mãe na cozinha e colecionava escondido revistas de receitas. Mas, com a oposição de um pai conservador, ele reprimiu esse gosto pela cozinha. Depois de muitos anos, hoje ele se sente mais livre e se encontrou dentro da cozinha. Marcio quer ir atrás do seu sonho e se tornar o próximo MasterChef provando para si mesmo que nunca é tarde para encarar novos desafios e fazer o que ama.

Pedro (29) Campos Novos/SC – Arquiteto
Catarinense de Campos Novos (SC), o arquiteto de 28 anos morou em várias cidades do sul do Brasil até chegar a Joaçaba (SC), onde mora com a noiva. Carrega consigo influências culinárias passadas pelo seu pai, que viveu no Japão por um tempo. Após ter morado um ano e meio na Austrália e ter contato com a culinária local, consegue se definir como um cozinheiro especialista em compor sabores, equilibrar texturas e é assim que vai surpreender o paladar dos jurados. Chegou a uma fase de sua vida onde se sente limitado dentro da arquitetura e vê no MasterChef uma chance para mudar de vida.

Raquel (35) Salvador/BA – Analista Financeira
Raquel desde pequena viaja bastante com sua família e conheceu diversos destinos pelo mundo. Aprendeu desde pequena com o pai a apreciar a alta gastronomia, frequentando restaurantes com estrela Michelin. Baiana de Salvador, já morou em diversos lugares, como Curitiba, Boston, Suíça e Nova Iorque, e leva um pouco da gastronomia de cada lugar na bagagem. Atualmente trabalha na empresa da família como analista financeira, mas é na cozinha que realmente ganha autonomia e confiança. Bastante comunicativa, quer mostrar seu rico repertório culinário e ter a chance de trilhar seu próprio caminho vencendo o MasterChef.

Renato (35) Pindamonhangaba/SP – Engenheiro Ambiental
É a segunda vez que o engenheiro ambiental de Pindamonhangaba (SP) participa do MasterChef Brasil. Na edição especial do ano passado foi eliminado por conta de uma pana cotta que acabou dando errado e depois de muito estudo virou referência entre os amigos. De personalidade forte, foi criado na roça onde tinha contato direto com os alimentos cultivados pela sua família e foi criando gosto pela gastronomia. Renato volta com força total e promete dar trabalho para os outros participantes.

Tiago (36) Brasília/DF – Publicitário
Nascido em Brasília, o comunicólogo de 36 anos adora trabalhar com peixes e frutos do mar, mas se considera um cozinheiro versátil. Suas primeiras lembranças com a culinária vêm dos programas televisivos que assistia quando chegava da escola. No MasterChef Brasil, Tiago quer apresentar uma cozinha que desperte a memória afetiva e conquiste o paladar dos jurados. Amante de jogos de tabuleiro, tem fortes estratégias para se dar bem na competição e não vai medir esforços para se tornar o grande MasterChef 2021.

Foto: Carlos Reinis/Band

Grande vencedora do MasterChef 2020, Anna Paula diz que tinha vergonha de trocar arquitetura pela gastronomia

Quando pisou no MasterChef pela primeira vez, em julho, Anna Paula fez história ao apresentar um hambúrguer gigante que viralizou nas redes sociais e virou até meme pelo tamanho GG. Na época, ao vencer o programa com a receita, a paulista creditou à “sorte” o motivo da vitória. Nesta terça-feira, 29, no entanto, Anna voltou à competição para a ‘Grande Final’ do ano e mostrou que tem talento de sobra e que é a melhor cozinheira amadora de 2020.

Vencer o talent show foi um marco para a arquiteta que, por muito tempo, teve vergonha de assumir a gastronomia. “Ficava com uma pulga atrás da orelha, pensava que tinha estudado tanto e que já tinha uma profissão. Me questionava: o que as pessoas vão achar? O que será que vão falar? Eu tinha medo de me assumir cozinheira. Tratava isso como sendo algo menor, mas não é”, contou com exclusividade ao Portal da Band.

Consagrada pelos jurados como a grande campeã da sétima temporada, Anna disputou com outros 22 cozinheiros que também venceram episódios ao longo do ano. Na prova decisiva da noite, em que mostrou seu refogado de camarão com chuchu ao molho de moqueca aos chefs, não restaram dúvidas: o brilho no olhar e os elogios do trio foram incomparáveis.

Aos 50 anos, participar do programa mudou as perspectivas da paulista para seu futuro profissional. “Transformou a minha confiança em mim mesma. Cozinhando em casa, eu recebia elogios, mas nada se compara a ter a chancela de três renomados profissionais que já viram e comeram de tudo. Mudou a minha autoestima”, revelou. “Quero esperar a ficha cair e estruturar um espaço para trabalhar com delivery de comida em casa.”

Apesar de realizada quando está com o avental no corpo e as panelas no fogão, ela revela que voltar à competição foi um ato de coragem. “Já tinha sido consagrada no meu episódio e retornar é correr o risco de levar bronca. Não interessa o que você fez antes, precisa cozinhar bem naquele momento. Pra mim, o que mais pega é o controle emocional, você precisa estar centrado, fazer o seu e não prestar atenção nos outros.”

Mesmo com a teoria na cabeça, na cozinha do programa o nervosismo ganhou forma, refletindo na participante um misto de entusiasmo e apreensão. “Antes de entrar, estava muito nervosa, não conseguia nem falar. Quando cheguei na bancada, não enxergava nada além do que estava fazendo. Por um momento, achei até que não conseguiria entregar o prato. Me confundi, fiquei ansiosa e precisei de esforço para me concentrar”, analisa.

Quando seu nome foi enfim pronunciado por Henrique Fogaça e o sonho se tornou realidade para a cozinheira amadora, não podia sentir coisa melhor. “A sensação dos elogios ao apresentar o meu prato foi a melhor do mundo. Tudo ficou do jeitinho que eu queria. Ganhei a chance de me reinventar e de viver algo impressionante.”

Mãe solo, Anna dedica o troféu à filha, Clara, de 17 anos, e a todas as mulheres que são mães e pais. “Elas batalham muito e não é fácil trabalhar fora, lidar com a criação dos filhos, com o cuidado da casa e ainda não ter a opção de estar cansada e dividir a responsabilidade. Todas essas mulheres são incríveis e podem fazer o que quiserem.” Parabéns, Anna!

Fotos: Carlos Reinis/Band

MasterChef 2020 terá grande final: relembre quem foram os vencedores da temporada

Todo mundo pediu e eles estão de volta! Os vencedores do MasterChef Brasil 2020 retornam à cozinha do primeiro e maior talent show de gastronomia do país para disputar o título de melhor cozinheiro amador do ano na próxima terça-feira, 29. Dessa vez, é tudo ou nada.

Após conquistarem o paladar dos jurados Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin ao longo da temporada, os competidores terão de provar que estudaram e que estão realmente preparados para mostrar que criatividade, ousadia e técnica fazem parte de um verdadeiro MasterChef. Relembre quem são eles:

Hailton, 28 anos, vencedor do 1º episódio

Nascido e criado na Vila Brasilândia, Zona Norte de São Paulo, o motorista de aplicativo quis mostrar que os cozinheiros da periferia também podem ganhar o MasterChef. É faixa preta no jiu-jitsu e se diz muito competitivo. Sonha em abrir um restaurante de comida rústica e acredita que com o sabor dos seus pratos poderá vencer essa luta gastronômica.

Anna Paula, 49 anos, vencedora do 2º episódio

É arquiteta e mora em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Percebeu que estava pronta para o MasterChef pelos elogios dos conhecidos. Vê no programa a grande chance de se reinventar aos seus quase 50 anos. Séria e reservada, diz que não entra em uma competição para fazer amigos, por isso promete novamente dar trabalho para os seus concorrentes.

Alessandra, 47 anos, vencedora do 3º episódio

É uma super mãezona e tem dois filhos. Moradora de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, é apaixonada pela culinária mineira e aposta no seu tempero como diferencial. Já ganhou um concurso regional de gastronomia e encara o MasterChef como um desafio. Vê no programa a chance de deixar de lado sua profissão de secretária para trabalhar com o que ama.

Paulo Henrique, 23 anos, vencedor do 4º episódio

É estudante de Medicina, cresceu no interior de São Paulo e desde pequeno se inspira na culinária da sua mãe, com quem tira dúvidas até hoje. Tranquilo e paciente, coloca toda sua sensibilidade na cozinha e quer testar mais uma vez seus próprios limites na competição. Para ele, cozinhar é dar o seu melhor dentro de um prato.

Thiago, 27 anos, vencedor do 5º episódio

Inspirado no avô, aplica suas técnicas culinárias e aposta em uma gastronomia casual. Dono de uma agência de Publicidade com foco em Marketing Digital, ele vê a cozinha não só como uma terapia, mas também como uma diversão. Vindo de Sorocaba, no interior paulista, acredita que cozinhar é sua grande vocação. 

Heitor, 28 anos, vencedor do 6º episódio

De Campinas, no interior de São Paulo, morou na Irlanda e na Nova Zelândia. Adora viajar e já esteve em 26 países. É analista de sistemas e teve uma ascensão profissional muito rápida, mas apesar de gostar do seu trabalho, o que ama mesmo é a gastronomia. Na bagagem, traz um bom repertório de comida internacional e quer encontrar forças para trocar de carreira. 

Danielle, 31 anos, vencedora do 7º episódio

Já viajou para muitos países, mas a culinária brasileira continua sendo a dona de seu coração. Mineira de Governador Valadares, aprendeu a fazer comida com a mãe, uma cozinheira de mão cheia. Trabalhava como chefe de inovação de um hospital em São Paulo, mas pediu demissão após a vitória no MasterChef. Atualmente, atua na área de eventos privados de gastronomia na capital paulista.

Karoline, 37 anos, vencedora do 8º episódio

Formada em Direito, é capitã da PM. Para ela, seu trabalho na polícia é o mesmo que na cozinha: se doar para as outras pessoas. De família armênia, cresceu vendo as mulheres de casa cozinhando as delícias da culinária daquele país. Confiante e destemida, ela não vê a hora de trocar a farda pelo avental do MasterChef.

Edson, 28 anos, vencedor do 9º episódio

Nascido em Blumenau, Santa Catarina, aprendeu a cozinhar com seu pai, mas deixou de fazer faculdade de gastronomia para trabalhar com ele no ramo de automóveis. Há dois anos, o pai faleceu e o digital influencer acredita que continuar fazendo suas receitas é uma forma de se manter próximo a ele.

Salvador, 58 anos, vencedor do 10º episódio

Experiente, cozinha há 35 anos. Sem falsa modéstia, o morador de Santos, no litoral de São Paulo, se considera um ótimo cozinheiro. Por ser bastante competitivo, a palavra perder não está em seu vocabulário. Próximo a completar 60 anos de idade, quer mostrar que para sonhar não há idade nem limites.

Claudio, 49 anos, vencedor do 11º episódio

Criado em uma família que cozinha junto, acredita que a culinária promove a união das pessoas. Criativo, não gosta de seguir muito as receitas e define seu estilo como uma “cozinha intuitiva”. Hoje trabalha com Marketing em Taubaté, no interior paulista, mas de tanto cozinhar para os amigos promete surpreender os jurados novamente com a ousadia dos seus temperos.

Fernanda, 36 anos, vencedora do 12º episódio

Há alguns anos, o MasterChef é um objetivo na vida desta cozinheira de São Paulo. Treina em casa cronometrando o tempo e assume que o que a move é o desafio. Formada em Direito, é uma esportista decidida, e busca no tênis inspiração e estratégia. Foram os seus filhos que incentivaram sua inscrição no programa. Não tem medo de ousar e acredita que o risco compensa. 

Adriana, 50 anos, vencedora do 13º episódio

Nascida em Santa Catarina, é uma mulher muito vaidosa. Mãe de quatro filhos, se dedica ao lar e é amante da comfort food. Esta foi a segunda vez que se inscreveu no MasterChef, já que na primeira não ganhou o avental por conta de uma carne crua apresentada para os jurados. Dessa vez, se sentiu mais preparada e conseguiu conquistar o troféu. 

Lucas, 30 anos, vencedor do 14º episódio

Ganhou um caderno de receitas de sua mãe quando se mudou para Santa Catarina para estudar e, em pouco tempo, tornou-se o cozinheiro da república estudantil. Formado em Engenharia de Produção, mora atualmente em Limeira, no interior de São Paulo, se diz estratégico e acredita ter as qualidades certas para levar novamente o troféu para casa.

Renata, 28 anos, vencedora do 15º episódio

Morou quatro anos no Japão e voltou pouco antes da pandemia para o Brasil, onde se reconectou com suas raízes gastronômicas. Trabalha com ensino infantil em São Paulo e traz todo seu cuidado de mãe para suas criações. Não tem medo de experimentar novas receitas e define seu estilo na cozinha como afetivo e brasileiro.  

Dayanna, 33, vencedora do 16º episódio

De Jundiaí (SP), vem de uma família de cozinheiros: sua avó foi chef de cozinha e seu pai teve várias empresas no ramo gastronômico. Aprendeu as primeiras receitas com seu falecido pai e, de alguma maneira, cozinhar é se manter perto dele. Mostrou para todos que também leva a cozinha no sangue.  

Lorayne, 33 anos, vencedora do 17º episódio

A freira precisou da ajuda das outras irmãs para convencer a chefe de sua congregação em Catanduva, no interior paulista, a deixá-la participar do MasterChef. Com o pedido atendido, veio para a competição para provar para si mesma que é capaz de superar grandes desafios.

Laura, 22 anos, vencedora do 18º episódio

Nascida em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, é bailarina e mora atualmente em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. No MasterChef, quis provar que por trás do rosto de menina existe uma grande cozinheira. Passou a infância em Minas Gerais, mas quando morou na Alemanha trouxe na bagagem uma grande influência da cozinha europeia. Adora doces e sonha em ter sua própria confeitaria. 

Marina, 19 anos, vencedora do 19º episódio

Nascida em Santos, no litoral paulista, ainda se lembra de quando subia na cadeira da cozinha para ajudar a avó a preparar suas receitas. Desde então, está decidida a ingressar na profissão e tem todo o apoio dos pais. Atualmente, reside na Praia Grande e quer mostrar no MasterChef que não precisa ter idade para ser uma grande cozinheira. 

Luiz, 32 anos, vencedor do 20º episódio

Nascido em Santa Rita do Passa Quatro, no interior paulista, foi criado pela tia e pela avó, com quem aprendeu a cozinhar. Atualmente, mora na capital e gosta de preparar a comida do dia a dia, mas sempre capricha na finalização do prato para impressionar. Confiante em seu potencial, entrou na cozinha do MasterChef para ganhar.  

Luiz Carlos, 31 anos, vencedor do 21º episódio

Nascido em São Paulo, trabalha como corretor de imóveis e é muito determinado. Começou a trabalhar como auxiliar de pedreiro aos 8 anos e ajudou a mãe a construir a própria casa. Acredita ter o dom da culinária, por isso o MasterChef pode ser sua melhor oportunidade para mudar de vida.

Ronaldo, 38 anos, vencedor 22º episódio

Nascido e criado em São Paulo, trabalha como engenheiro de marketing e morou durante dois anos na Ásia a trabalho. Com essa experiência, teve muito contato com a gastronomia local e trouxe na bagagem diversas receitas inusitadas. Sempre considerou a cozinha como seu “plano b” e diz ter chegado o momento dessa grande mudança.

Rafaela, 24 anos, vencedora do 23º episódio

Nascida em Adamantina, no interior de São Paulo, sempre foi uma mulher independente e decidiu morar sozinha aos 17 anos. Formada em Jornalismo, trabalha como fotógrafa de alimentos na capital paulista, onde mora, e adora registrar os pratos que cria para postar nas suas redes sociais. Seu grande diferencial na competição é o repertório variado.

Danila, 23 anos, vencedora do 24º episódio

De São Caetano do Sul, no ABC Paulista, Danila é formada em arquitetura, mas se sente realizada mesmo quando está entre as panelas. Decidida a mudar de profissão, entrou no MasterChef e garantiu a vice-liderança no quinto episódio. De volta na repescagem do último episódio, conquistou o paladar dos jurados e provou para todos que seu futuro está na gastronomia. 

MasterChef Brasil é um formato da Endemol Shine Group. O programa é uma produção Endemol Shine Brasil para a Band e para o Discovery Home & Health. O talent show vai ao ar às terças-feiras, às 22h45, na tela da Band, com transmissão simultânea no aplicativo e no site do MasterChef Brasil. A atração também é exibida toda sexta-feira, às 20h30, no Discovery Home & Health.