Foto: Divulgação

Marcha para Jesus acontece dia 9 em Natal

Tudo pronto para realização da tradicional “Marcha para Jesus”, que acontecerá no próximo sábado (9), a partir das 16h, em Natal. A Marcha será em formato de passeata, mas, diante do momento ainda de pandemia, os organizadores alertam para o uso obrigatório de máscaras, portar identidade e comprovante de vacinação para entrar nos shows nacionais, além do uso do álcool em gel. Aqueles que não puderem ir presencialmente poderão acompanhar a transmissão via canal Marcha Natal Oficial no YouTube.

A Marcha terá início com a concentração na Rua Alberto Silva, ao lado do posto Shell, em Lagoa Seca, a partir das 13h, e seguirá a partir das 16h pela Av. Hermes da Fonseca, em direção ao Hotel Holiday Inn Natal, com animação de trios elétricos e artistas regionais. Em seguida, os participantes terão acesso ao Centro Cultural João Paulo II (Antigo Papódromo), pela entrada principal do Centro Administrativo para assistir os shows com atrações nacionais. A entrada só será permitida com a apresentação do comprovante de vacinação e uso obrigatório de máscara.

Ao todo, quatro trios elétricos acompanharão a passeata com apresentação de bandas evangélicas e cantos de louvor. Ao fim do percurso, será realizado um show no antigo Papódromo apenas para pessoas com a vacinação em dia. Confirmados os trios: Trio Jampa – Thabata Medeiros com Trio Jampa; Trio Du Rei – Vambora; Trio Cassuar – Igreja Quadrangular e o Trio Predador, que abre a concentração. Os shows nacionais terão nomes como Regis Danese, Marquinhos Gomes, Chagas Sobrinho e Wesley Santos. A programação das apresentações nacionais irá das 18h às 23h.

A expectativa da organização é de uma grande participação de público. Durante o percurso, além da animação dos trios elétricos, haverá momentos de intercessão, com o pastor Sidnei Rocha, diretor da Marcha para Jesus em Natal.

O principal objetivo do evento, que acontece anualmente, é arrecadar alimentos, produtos de higiene e roupas que, posteriormente, serão encaminhados para comunidades carentes da capital e interior. Na concentração e durante o percurso terão locais de arrecadação para doações de 1 ou 2kg de alimentos não perecível e produtos de higiene.
“Seguimos em nossa missão de ajudar os necessitados neste período tão difícil para todos”, diz o pastor Sidnei Rocha.

Programação Marcha para Jesus 2021

09/10 (sábado)
13h – Concentração e abertura do posto de arrecadação na Rua Alberto Silva, ao lado do posto Shell, em Lagoa Seca, com Trio Predador.
14h30 – Início das bandas do Trios
15h – Momento de intercessão com Pastor Sidnei
16h – Saída
18h – Chegada em frente ao Hotel Holiday Inn Natal, com dispersão dos trios e ida para o Antigo Papódromo.
23h – Encerramento.

Show Nacionais
Local: Centro Cultural João Paulo II (Antigo Papódromo), pela entrada principal do Centro Administrativo
Horário: a partir das 16h
Atrações:

  • GILMAR BEZERRA
  • MIKEIAS CRUZ
  • CHAGAS SOBRINHO
  • WESLEY SANTOS
  • REGIS DANESE
  • MARQUINHOS GOMES
Foto: ASSECOM

Dança, teatro e música são destaques no fim de semana

O projeto Dançando nas Dunas, em mais uma edição virtual, do próximo sábado (18), traz “Versus”, o mais novo espetáculo do EX4 Dance Group com uma apresentação divertida e com muito K-Pop.

Em um lugar onde a felicidade habita as pessoas que ali moram vivem em plena harmonia. Infelizmente, essa paz não permanecerá por muito tempo. Com inveja de sua felicidade, um grupo de pessoas preenchido pelas sombras resolvem interferir.

Um a um os cidadãos daquele belo lugar são sequestrados e controlados para se esquecerem quem são, ficando à mercê das vontades das pessoas sombrias. Agora essas pessoas só podem contar com um agente infiltrado e uma fugitiva para salvar a vida de todos e trazer a paz novamente à cidade. Tudo isso, com muita dança e arte.

Já no domingo (19), pela manhã, às 10h, o Bosque Encena virtual recebe a peça “O Lendário Coração da África” do grupo Teart de Teatro, com direção e dramaturgia de Bárbara Cristina. A peça se desenvolve com uma linguagem poética de contação de histórias.

Ela narra, através de contos e lendas africanas, uma aventura que começa quando um baobá era apenas uma sementinha, fazendo uma viagem no tempo, transformando-se numa gigante árvore nativa de onde se colhe muitas histórias, e assim seus personagens vão descobrindo que dentro dessa grande árvore pulsa um coração cheio de mistérios, sabedorias e um imenso tesouro escondido.

É a oportunidade de mostrar ao público, em especial às crianças, que a África não é somente o lugar de onde vieram os escravizados ou uma terra de guerras e fome, mas um continente com uma cultura muito rica transmitida oralmente de geração em geração.

No período da tarde, às 16h30, o Som da Mata virtual apresenta o show do guitarrista Stallone Terto, que estará acompanhado de Paulo De Oliveira (contrabaixo) e Darlan Marley (bateria), apresentando releituras de clássicos da música popular internacional.

Stallone toca desde muito cedo de forma profissional, acompanhando vários artistas da cidade dos mais diversos estilos. Passeando pelo Baião ou Rock and Roll, pelo Jazz ou MPB, sempre “Tocando a Vida”.

Eduardo e Ramon se expressam com total liberdade, deixando fluir toda a beleza sonora que emana da sintonia entre o piano e a percussão. O duo promete encantar o público com releituras de clássicos da MPB e do Jazz, em versões instrumentais vibrantes e inéditas, além de músicas autorais, numa formação totalmente inusitada.

Projetos

Os projetos Bosque Encena, Som da Mata e Dançando nas Dunas acontecem graças à renúncia fiscal da Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão. E contam com o apoio do Governo do Estado, através do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, que cede o espaço do Parque das Dunas, onde estão sendo gravados os eventos.

Serviços:

Dia: 18/08 (sábado)

Evento: Dançando nas Dunas – 16h30

– Youtube: Dançando nas Dunas

– Instagram: @dancandonasdunas

– Facebook: dançandonasdunas

•        Dia: 19/08 (domingo)

  Evento: Bosque Encena – 10h

-Youtube: Bosque Encena

– Instagram: @bosqueencena

– Facebook: bosqueencena

•        Evento: Som da Mata – 16h30

– Youtube: Som da Mata

– Instagram: @somdamata

– Facebook: somdamata

Foto: Moisés de Lima/ FJA

Fundação José Augusto lança 3° Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do RN

O Governo do Estado, através da Fundação José Augusto (FJA), lançou nesta segunda-feira (23)  o edital para o 3º Concurso Público do Registro do Patrimônio Vivo do RN (RPV-RN) que tem por finalidade o apoio financeiro à preservação dos processos de criação, técnicas, modos de fazer e saberes da Cultura Tradicional e Popular do Estado do Rio Grande do Norte.
 
O edital completo pode ser acessado no site www.cultura.rn.gov.br  na secção “Editais/ Editais Culturais/ Editais Abertos” ou acessado pelo link    http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/secretaria_extraordinaria_de_cultura/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=267237&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=EDITAIS

Inscrições

As inscrições devem ser realizadas durante o período de 24 de agosto de 2021 a 14 de setembro de 2021, no horário das  8h às 14h, na sede da Fundação José Augusto, Rua Jundiaí, 641, Tirol, Natal/RN, ou enviar o arquivo em PDF ÚNICO para o email: editalrpvfja@gmail.com com título “Inscrição RPV”.

O concurso para a inscrição no RPV-RN, vai contemplar quatro candidaturas – 2 (duas) Pessoas Naturais e 2 (duas) Pessoas Jurídicas, dotadas ou não de personalidade jurídica sem fins lucrativos, com significativa importância para a cultura tradicional e popular norte-rio-grandense, implicando na concessão de bolsas de incentivo financeiro por parte do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Fundação José Augusto (FJA).

Mestres e mestras

O RPV-RN visa estimular e proteger iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sociocultural e profissional dos mestres e mestras de notório saber, autores, autoras, artistas, grupos e entidades da Cultura Popular e Tradicional do Estado do Rio Grande do Norte, almejando a transmissão de conhecimentos e   técnicas para alunos ou aprendizes, através de programas de ensino e aprendizagem apoiados ou executados direta ou indiretamente pela Fundação José Augusto.

As bolsas de incentivo financeiro serão destinadas às pessoas naturais ou jurídicas que tenham alcançado um estágio de reconhecida capacidade profissional ou institucional, escolhidas em decorrência de processo de seleção pública, que levará em consideração as justificativas, os currículos dos candidatos, o mérito e a qualidade dos trabalhos executados pelos postulantes ao RPV-RN.

O diretor-geral da FJA, Crispiniano Neto, destaca o papel governamental na preservação da cultura popular através do edital. 

“O Governo Fátima Bezerra está atualizando os mecanismos necessários para manter viva as maneiras de fazer e saberes da cultura popular, através do incentivos financeiros dos nossos mestres e mestras. Essa é uma ação que garante o legado da nossa tradição às novas gerações”, declarou o gestor.

Diversão garantida com três espetáculos neste fim de semana

Em mais uma edição, o projeto Dançando nas Dunas do próximo sábado (14), apresentará às 16h30, o espetáculo “Caminhos do Oriente” da Cia Al Hanna, com direção e coreografia de Jamilah Al Hanna.

O espetáculo exibe desde a dança do ventre tradicional, passando por alguns folclores árabes e fusões, apresentando sua rica variedade como linguagem artística. Assim, mostrando-a como uma expressão oriunda de povos tradicionais árabes até sua chegada em outros locais, interpretada por outros corpos mundo a fora. Caminhos do oriente são essas mesclas e possibilidades: tradição e modernidade, oriente e ocidente, arte e liberdade.

Já no domingo (15), pela manhã, às 10h, o Bosque Encena virtual recebe a peça “Misterioso Mascarado” com o trapezista e palhaço Gabriel Hernan Rodriguez, ou Fino Galager, da Tropa Trupe. O espetáculo que mistura a performance de trapézio circense e da comicidade de um palhaço enigmático e desconhecido do público.

No período da tarde, às 16h30, o Som da Mata virtual apresenta o show intitulado “Sons Amigos”, que reúne o pianista Eduardo Taufic e o percussionista Ramon Gabriel, apresentando uma proposta em duo, no qual a tônica do encontro é a paixão incondicional pela música e os mais de dez anos de amizade e admiração mútua entre os músicos.

Eduardo e Ramon se expressam com total liberdade, deixando fluir toda a beleza sonora que emana da sintonia entre o piano e a percussão. O duo promete encantar o público com releituras de clássicos da MPB e do Jazz, em versões instrumentais vibrantes e inéditas, além de músicas autorais, numa formação totalmente inusitada.

Projetos

Os projetos Bosque Encena, Som da Mata e Dançando nas Dunas acontecem graças à renúncia fiscal da Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão. E contam com o apoio do Governo do Estado, através do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, que cede o espaço do Parque das Dunas, onde estão sendo gravados os eventos.

Serviço:

Dia: 14/08 (sábado)

Evento: Dançando nas Dunas – 16h30

  • Youtube: Dançando nas Dunas
  • Instagram: @dancandonasdunas
  • Facebook: dançandonasdunas Dia: 15/08 (domingo) Evento: Bosque Encena – 10h

-Youtube: Bosque Encena

  • Instagram: @bosqueencena
  • Facebook: bosqueencena
  • Evento: Som da Mata – 16h30
  • Youtube: Som da Mata
  • Instagram: @somdamata
  • Facebook: somdamata
Foto: Divulgação

Parceria entre Taty Girl e Wesley Safadão em DVD chega às plataformas de música e vídeo


Uma parceria de sucesso chegou às plataformas de música nesta sexta-feira (13). Com refrão potente e melodia envolvente, a cantora Taty Girl lançou nesta sexta-feira (13) a música “Meu Coração me Odeia” em parceria com o cantor Wesley Safadão.

A novidade já está disponível nas plataformas de áudio vídeo. A faixa inédita, além de forte candidata a hit do novo trabalho, traz o encontro entre os principais representantes do forró, já que Taty é a cantora solo mais fiel ao gênero ao longo dos anos e Safadão o artista número 1 do Brasil há uma década, expandindo o ritmo além das regiões norte e nordeste.

“Meu Coração me Odeia” inicia a série de lançamentos semanais do projeto. Nas próximas sextas-feiras, oito inéditas serão divulgadas uma a uma nas plataformas de áudio acompanhadas pelos vídeos no Youtube.

Aposta da parceria dos escritórios Camarote Shows e Luan Promoções, aos 45 anos a cantora vive um dos melhores momentos da carreira, tendo no período de pandemia se destacado por conta das lives apresentadas ao longo do último ano.

Seus shows online mantiveram uma média de 1 milhão de espectadores e a divulgação do projeto “Baú da Taty Girl” renderam elogios tanto do público quanto da crítica especializada.

Com 30 anos de carreira, Taty Girl é um dos nomes mais emblemáticos do forró nacional, seja pelo seu talento inegável quanto pela história de vida e trajetória na música, que tem passagem por bandas como Forró Maior, Forró Real e Solteirões do Forró, é destaque desde 2009 como artista solo.

VÍDEO: Seis e Meia tem Ivando Monte cantando Alceu Valença nesta terça-feira (27)

Terça-feira é dia de projeto Seis e Meia e, na edição de hoje, dia 27, o show principal será de Ivando Monte cantando Alceu Valença, a partir das 18h30. A abertura fica por conta da cantora Silvana Martins.

Esta será a quarta edição da temporada 2021 do projeto Seis e Meia. O evento terá transmissão ao vivo aqui no portal Band Notícias RN e pelo canal do YouTube Band RN, às 18h30.

O Seis e Meia tem respeitado todas as normas de biossegurança contra a Covid-19 e sua primeira edição, na semana passada, foi um sucesso total. As apresentações de música popular brasileira têm sido realizadas todas as terças-feiras, seguindo até 21 de dezembro.

Nesta temporada, o projeto conta com patrocínio da Prefeitura do Natal, Programa Djalma Maranhão, Unimed Natal, Grupo Dunas, e a apoio cultural da Fecomercio RN, do Sesc RN, do Instituto de Radiologia, do Natal Card/Seturn Natal e do Praia Shopping, tendo a realização da Idearte Produções.

Além da transmissão ao vivo nesta terça-feira, às 18h30, pelo portal e Youtube da Band RN, também será possível assistir aos melhores momentos na tela da Band RN, todo sábado, das 18h50 às 19h20.

Foto: ASSECOM/RN

Rio Grande do Norte terá museu para preservação da memória musical

“A decisão já está tomada: teremos, sim, neste prédio belíssimo, vizinho ao Teatro Alberto Maranhão e próximo à Casa de Cascudo, o Museu da Música Potiguar Brasileira. O povo do Rio Grande do Norte, as gerações presentes e futuras, merecem esse importante equipamento de preservação de nossa memória musical.” A garantia foi dada pela governadora Fátima ao visitar, na companhia do presidente da Academia Norte-Riograndense de Letras, Diógenes da Cunha Lima, o local onde funcionou a Junta Comercial do Estado por mais de quatro décadas, na Ribeira.

Inaugurado em 31 de março de 1930 para abrigar a Recebedoria de Renda, tombado em 1992, o prédio faz parte de um conjunto arquitetônico de inestimável valor histórico, ao lado do Teatro, do Museu de Cultura Popular Prefeito Djalma Maranhão e da antiga Faculdade de Direito, na Praça Augusto Severo.

“O museu se soma a outras iniciativas em curso, como o Complexo Cultural Museu da Rampa; o Teatro Alberto Maranhão, que será entregue neste segundo semestre; a Fortaleza dos Reis Magos, a Escola de Dança, a Pinacoteca e a Biblioteca Câmara Cascudo”, ressaltou a professora Fátima Bezerra, que pediu à diretoria da Fundação José Augusto (FJA) para levar o projeto adiante.

“O Rio Grande do Norte tem algumas características curiosas e diferentes do resto do País. É um dos estados musicais do Brasil. Mas nenhum estado tem um Aldo Parisot [1918-2018, violoncelista natalense], professor por mais de 60 anos da Escola de Música de Yale, homenageado pela ONU; temos o maestro Tonheca Dantas [1871-1940], que deixou 240 composições, mas até hoje só conhecemos 60; tem Oriano de Almeida [1921-2004, pianista], um dos maiores intérpretes de Chopin. Quantos compositores populares fantásticos precisam estar aqui?, enfatizou o professor Diógenes da Cunha Lima, ao elogiar a construção do museu.

Ele lembrou que Alberto Maranhão de Albuquerque foi o governador que mais valorizou a cultura, fazendo o Rio Grande do Norte ser conhecido e respeitado em todo o Brasil. No entanto, observou, houve um “grave” período de abandono desse legado. “Precisamos valorizar nossas conquistas. Isso aqui também é um espaço para o turista, para quem quiser vir, ver e ouvir a beleza da música, que é a comunicação universal. Então, não vejo outra chance para o RN, a não ser através dessa atuação forte que a senhora, governadora, está fazendo, sobretudo na cultura, que reflete também no turismo.”

A pesquisadora Leide Câmara de Oliveira, autora do Dicionário da Música do Rio Grande do Norte e que tem um acervo com 6 mil músicas cadastradas de autores potiguares cantadas por intérpretes potiguares ou não, e de compositores de qualquer lugar interpretadas por cantores potiguares, defendeu a iniciativa. “Vai ser um museu singular porque o RN tem a memória de mais de um século preservada. O museu terá grande importância porque poderemos mostrar às gerações o que foi e o que é a nossa história musical, os instrumentos, as formas de gravação, as partituras, a sociologia da época retratada por cada música.”

“Essa será mais uma ação do governo da professora Fátima Bezerra de valorização da cultura, de preservação de nossa memória e de revitalização da Ribeira”, diz o presidente da Fundação José Augusto, o poeta Crispiano Neto, citado nomes de cantores potiguares contemporâneos que tiveram projeção nacional, como a são-gonçalense Ademilde Fonseca, Rainha do Chorinho; a assuense Núbia Lafayette; o macauense Hianto de Almeida, precursor da Bossa Nova; o timbaubense Elino Julião, entre outros grandes da música. “A música representa uma das nossas principais potências culturais”, reforçou Fábio Lima, diretor da FJA.

Grandes da Música Potiguar com projeção nacional

Janduí Filizola – Compositor
Ademilde Fonseca, de São Gonçalo do Amarante, Rainha do Chorinho
Trio Irakitan*
Núbia Lafayete (Idenilde Araújo Alves da Costa) – assuense (1937-2007)
Hianto de Almeida, macauense, precursor da Bossa Nova
Tonheca Dantas – Maestro
Terezinha de Jesus – vendeu 5 milhões de discos
Elino Julião – Forrozeiro, nascido em Timbaúba dos Batistas
Leno [Gileno Osório Wanderley de Azevedo] da dupla Leno e Lílian
Antônio Madureira, macauense, maestro, violonista e compositor, integrante do Quinteto Armorial
Carlos André – Produtor de Luiz Gonzaga

(*) Segundo a Wikipedia, o primeiro nome escolhido por Câmara Cascudo foi Trio Muirakitan, que significa pedra verde em tupi-guarani. Como na época já havia um trio com o mesmo nome, Cascudo resolveu criar um neologismo, rebatizando-o para Trio Irakitan.

VÍDEO: Museu Câmara Cascudo oferece passeio virtual ao público

O museu Câmara Cascudo deu início às visitas guiadas para escolas em forma virtual. A iniciativa visa dar continuidade aos trabalhos realizados pelo museu, que precisou fechar as portas por causa da pandemia. A tecnologia é o carro chefe nas visitas que poderão ser disponibilizadas para alunos de todo o estado.

VEJA VÍDEO ABAIXO:

Foto: Fundação José Augusto

Documentos históricos do Teatro Alberto Maranhão serão recuperados pela UFRN

O diretor do Teatro Alberto Maranhão Ronaldo Costa entregou, nesta semana, documentos históricos ao Laboratório de Restauração e Conservação de Livros e Documentos Históricos (Labre) da UFRN. Os registros de pauta do teatro que datam desde 1904, serão recuperados, tratados e digitalizados para servirem a pesquisadores, estudantes e interessados na história do TAM.

Os documentos históricos estão sob guarda permanente da Fundação José Augusto, atualmente armazenados no Centro de Documentação do Solar João Galvão, no Bairro da Ribeira, aguardando sua realocação após a reabertura do Teatro Alberto Maranhão. 

O trabalho de recuperação do acervo será conduzido pela professora Maria da Conceição Guilherme (Labre), por Iris Álvares Dantas, Coordenadora do Laboratório de Imagens da UFRN (LABIM) e pela professora Monize Moura, coordenadora do Projeto Memoria do Teatro Alberto Maranhão. 

A história do Teatro Alberto Maranhão, fechado para reforma desde 2015, é de enorme relevância para a cultura do Rio Grande do Norte. A memória do edifício, que está preservada em um acervo composto de documentos diversos – em sua maioria recortes de jornais, fotografias e programas de espetáculo – que permitem retraçar e compreender diferentes aspectos da vida artística, cultural e da sociedade natalense e potiguar, constituindo uma das principais fontes para pesquisas acerca da História das Artes do Rio Grande do Norte, sobretudo do Teatro e da Dança.  

Destaque para a publicação “História do Teatro Alberto Maranhão (1980)”, escrita por Meira Pires, talvez o mais renomado diretor do Teatro Alberto Maranhão, teve como fonte de pesquisa o acervo histórico. A obra disponibiliza importantes informações sobre a inauguração do Teatro e sobre as ocupação das pautas na primeira metade do século XX. 


Preservação


Apesar do esforço já empreendido no intuito de organizar o acervo (os documentos encontram-se reunidos em pastas seguindo uma ordem cronológica e acompanhados de notas explicativas), os documentos mais antigos, datados entre os anos de 1905 e 1954, encontram-se em estado frágil de preservação. Esse contexto de fragilidade que repercute diretamente sobre o manuseio dos documentos, despertou uma necessidade de recuperação desse acervo de garantir sua salvaguarda, a fim de possibilitar para as próximas gerações o acesso irrestrito ao acervo por meio de um arquivo digitalizado. 

A recuperação dos documentos históricos deverá ocupar-se, desse primeiro momento, da documentação já ordenada em pastas, a partir de um planejamento para recuperação e digitalização sob o olhar especializado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mais especificamente com o Programa de Pós-Graduação em artes cênicas da UFRN (PPGARC), laboratórios de LABIM (Laboratório de Imagens – Digitalização de Documentos Históricos da UFRN) e LABRE. 

Foto: João Augusto

Iuri Alves, Piruá de Circo e Billy Herbert divertem o fim de semana potiguar

O Dançando nas Dunas virtual do próximo sábado, dia 17, às 16h30, recebe o espetáculo Abalo, do bailarino mossoroense Iuri Alves, com concepção e direção coreográfica de Alexandre Américo e a produção audiovisual da Praieira Filmes.

Esta coreografia é uma tecnologia de agenciamento para Abalar: piso, política, ética, estética, confinamento, liberdade, território, corpo e dança. Para tanto, ela convoca, enquanto escolha político-estética, os assombros do Vogue.

No domingo (18), às 10, inicia a programação cultural com o Bosque Encena virtual apresentando o espetáculo Piruá de Circo. Cansado de ser o milho descartado, o palhaço Piruá resolve montar seu próprio circo para se tornar um artista famoso, reconhecido, uma verdadeira celebridade e alcançar um milhão de seguidores nas redes sociais. Malabarismo, equilibrismo, magia, ciência e muita palhaçada são ingredientes preciosos deste emocionante espetáculo que nos revela a verdadeira essência da felicidade.

Finalizado o dia, o Som da Mata, a partir das 16h30, recebe o baterista e produtor musical Billy Herbert, que estará acompanhado dos músicos Alan Guilherme (contrabaixo) e Emerson Oliveira (teclado).

Billy começou a tocar na adolescência e se profissionalizou em meados de 2006, acompanhando alguns artistas, guitarristas solos como Rafael Viana, cantores internacionais como Jayr Peny, pianistas como Obdias Bezerra e orquestras. Gravou álbuns e tocou nas noites em bares de Natal, sempre focando sua carreira como baterista solo com tendência ao instrumental. Tem um estilo musical peculiar com grandes influências no gênero fusion jazz e latin, além de seu amor pela música afro.

Projetos

Os projetos Bosque Encena, Som da Mata e Dançando nas Dunas acontecem graças à renúncia fiscal da Prefeitura do Natal, por meio da Lei Djalma Maranhão. E contam com o apoio do Governo do Estado, através do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, que cede o espaço do Parque das Dunas, onde estão sendo gravados os eventos.

Serviços:

Dia: 17/07 (sábado)

Evento: Dançando nas Dunas – 16h30

  • Youtube: Dançando nas Dunas
  • Instagram: @dancandonasdunas
  • Facebook: dançandonasdunas

• Dia: 18/07 (domingo)

Evento: Bosque Encena – 10h

-Youtube: Bosque Encena

  • Instagram: @bosqueencena
  • Facebook: bosqueencena

• Evento: Som da Mata – 16h30

  • Youtube: Som da Mata
  • Instagram: @somdamata
  • Facebook: somdamata Produção Bosque Encena e Som da Mata: SADEPAULA Produções Criativas